Luanda - O Banco Millennium Atlântico (Atlântico) e o Commerzbank assinaram em Luanda uma linha de financiamento de 30 milhões de euros destinada a apoiar projetos ligados à diversificação económica de Angola, indica hoje uma nota da instituição bancária angolana.

Fonte: Lusa

Segundo o comunicado, que cita o presidente da comissão executiva do banco, Daniel Santos, a linha de crédito tem como objetivo "alavancar o suporte do Atlântico" aos projetos de investimento dos "clientes que têm como desígnio da sua actividade contribuir para a diversificação da economia angolana".

 

"A linha, que permitirá ao Atlântico reforçar a sua capacidade de financiar projectos que impulsionem o desenvolvimento da economia, contará igualmente com garantias de agências de crédito à exportação ('ECAs'), como a Euler Hermes, da Alemanha", lê-se no documento.

 

Daniel Santos esclareceu também os critérios por que se vai reger a concessão de crédito aos projectos a candidatar.

 

"A concessão de crédito a projetos será feita em kwanzas ou indexada à moeda estrangeira, com um montante mínimo a ser disponibilizado não inferior a 5.000.000,00 euros, abrangendo preferencialmente o setor produtivo", sublinhou.

 

Segundo a nota, o acordo foi assinado por Daniel Santos e pelo vice-presidente do banco alemão e também responsável pela área de financiamento à exportação ('export finance'), Thomas Rybick, na presença do responsável do Commerzbank em Angola, Martin Hércules.

 

O Atlântico lembra que o Commerzbank oferece um portefólio de serviços financeiros alinhado com as necessidades dos clientes que serve - privados, pequenas empresas e "corporate".

 

"No total, atende mais de 11 milhões de clientes provenientes de pequenas e médias empresas, além de mais de 60.000 clientes corporativos, multinacionais, provedores de serviços financeiros e clientes institucionais. É o banco que financia 30% das exportações da Alemanha e que é líder no financiamento a clientes 'corporate' no mercado alemão", termina a nota.

 

O Banco Millennium Atlântico tem na sua génese o português BCP, cuja sucursal em Angola foi transformada num banco de direito angolano em 2006, Banco Millennium Angola SA, ao mesmo tempo que foi criado o Banco Privado Atlântico, com sede em Luanda.

 

Em 2009, foram concluídos os acordos dos acordos de parceria celebrados com a Sonangol e o Banco Privado Atlântico (BPA), bem como um aumento do capital social do Banco Millennium Angola (BMA).

 

A Sonangol passou a deter 31,5% do capital do BMA e o BPA assumiu uma participação de 15,8% no capital do Banco. O BMA, por sua vez, adquiriu uma participação de 10% no capital do BPA.

 

O Banco Millennium Angola fechou 2015 com 89 balcões, 8 centros de empresas e 13 centros "Prestige", enquanto o Banco Privado Atlântico chegou a dezembro do mesmo ano com 54 centros Atlântico, 13 centros empresa e um "Private".

 

Em 2016, foi criado o Banco Millennium Atlântico, resultado da fusão entre o Banco Privado Atlântico e o Banco Millennium Angola, tornando-se no segundo maior banco privado em Angola.

 

A 31 de dezembro de 2017, segundo o portal do banco, o Atlântico tinha como sócios maioritários o Interlagos Equity Partners SA (29,77%), BCP África SGPS (22,52%), Atlântico Financial Group (19,8%) e a Jasper Capital Partners - Investimentos e Participações SA /15,25%).

 

A estrutura acionista integra ainda a Quadros - Gestão de Ativos SA (4%), Econumus - Capital Lda (3%), Fundação Atlântico (2%) e a Gemcorp Fund I Limited (1,9%), estando dispersos os restantes 1,76% de ações.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: