Kinshasa - Martin Fayulu Madid, candidato derrotado da eleição presidencial de 30 de Dezembro último, recorreu quinta-feira ao tribunal africano dos direitos humanos para reclamou a “ verdade das urnas”.

Fonte: Angop

A informação foi passada pelo secretário-geral adjunto do Movimento de Libertação do Congo (MLC) e porta-voz da plataforma LAMUKA (Acorda), Fidèle Babala.

 

Fidèle Babala explicou que o candidato do LAMUKA fê-lo, depois de ter tentado recorrer, sem sucesso, ao tribunal constitucional congolês.

 

“ O tribunal tem uma jurisprudência, e já condenou outros países por prática de fraude eleitoral. Espero que o mesmo será constante na sua jurisprudência, vai recomendar que uma resolução seja emitida para a Republica Democrática do Congo, com vista a se respeitar a verdade das urnas”, disse Babala.

 

A mesma personagem qualificou de “vergonhoso” o reconhecimento de Félix Tshisekedi pela maioria dos países do Mundo, depois da confirmação dos resultados da Comissão Eleitoral Nacional Independente (CENI) e pelo Tribunal constitucional.

 

Ao reagir aos resultados que deram vitória ao Félix Tshisekedi, o secretário-geral da ONU, António Guterres, considerou haver um facto consumado na RDC, e aconselhou os países membros daquela organização a ajudar o país a sair das dificuldades que vive.

 

No seu discurso de investidura, Félix Tshisekedi que ganhou a eleição com 38,57 %, estendeu a mão a Martin Fayulu que qualificou de “soldado do povo”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: