Luanda - O processo de inquérito relativo à gestão da antiga presidente do Conselho de Administração da SONANGOL, Isabel dos Santos, segue, nas próximas semanas, para a Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP).

Fonte: Angop

Investigação a transferência de mais de USD 38 milhões

Segundo a directora nacional de combate à corrupção, Inocência de Brito, que falava em entrevista exclusiva à Angop, o inquérito preliminar já foi concluído, devendo ser remetido à DNIAP, para a competente instrução preparatória do processo-crime.

 

Trata-se de um inquérito instaurado pela Procuradoria-Geral da República, a 2 de Março de 2018, para apurar denúncias de uma transferência de mais de USD 38 milhões, supostamente orientada por Isabel dos Santos, depois de exonerada da gestão do Conselho de Administração da SONANGOL.

 

Dias depois da denúncia, Isabel dos Santos negou as acusações e considerou-as "infundadas", afirmando-se "confortável" com o inquérito aberto pela PGR.

 

A empresária, segundo a responsável da DNPCC, respondeu às convocatórias da PGR por via do seu advogado, dando conta que a mesma teve contacto com a notificação.

 

Inocência de Brito explicou que Isabel dos Santos devia ser ouvida em Dezembro último, mas não compareceu por estar ausente do país.

 

A garantia da comparência havia sido dada pelo advogado da empresária, segundo o qual a sua constituinte viria ao país para cumprir com a diligência processual, o que não se verificou.

 

Por não se ter efectivado o regresso da empresária, na altura devida, Inocência de Brito informou que a mesma voltará a ser chamada, brevemente.

PGR investiga ex-secretário do PR

Relativamente ao caso do ex-secretario para os Assuntos Económicos do Presidente da República, João Lourenço, Carlos Panzo, Inocência de Brito informou que o processo está em instrução preparatória, após ter terminado a fase de inquérito no ano passado.

 

Sublinhou que o mesmo (processo) já foi remetido à DNIAP, para posterior tramitação.

 

Carlos Panzo foi exonerado das funções de secretário para os Assuntos Económicos do Presidente da República, em Outubro de 2017.

 

Na altura, a PGR abriu inquérito para apurar uma denúncia sobre factos penalmente puníveis, nos termos do direito internacional, contra o ex-assessor presidencial.

 

MIREX e Comunicação Social

 

Inocência de Brito confirmou, também, a recepção pelo DNPCC de denúncias relativas aos Ministérios das Relações Exteriores (Mirex) e da Comunicação Social.

 

No Mirex, a directora afirmou que as investigações estão em curso e que visam altos funcionários da instituição, sem especificar as causas das investigações.

 

No Ministério da Comunicação Social, as investigações da PGR incidem sobre os antigos gestores. "Estivemos a investigar uma denúncia que recebemos do Ministério da Comunicação Social e instauramos um processo de inquérito".

 

Tratam-se de denúncias contra alguns órgãos que a responsável preferiu não especificar. No entanto, disse ser casos com indícios de má gestão.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: