Luanda - Mesmo que se deixe um tronco num rio, por muita tempo, nunca se transformará em jacaré “provérbio popular de origem desconhecida”.

Fonte: Club-k.net

Sim, não é por terem gizado uma lei e um “exército” de fiscais que pune a luta pela sobrevivência, ou o facto de todos os dias assistirmos ao triste drama- perseguição- de uma grande guerreira que em nome do amor aos seus filhos luta para tentar dar-lhes o que comer, pois, alimentá-los já é luxo de mais; “depositá-los” numa escola, caso tenha tido a sorte e o dinheiro para os matricular, mas onde o professor de tanto sonhar com um salário digno, já opta – GREVE- por deixar de fazer o que mais gosta – ENSINAR- para convencer os guardiões das ovelhas de que é melhor aumentarem o investimento na formação do angolano, em vez de comprarem carros de luxos, armas modernas, satélites “ perdidos” , entre outras megalomanias, que nos elevam à pseudo categoria de um país evoluído , mas quando na verdade temos hospitais, escolas, doenças (…) que nos convencem de que afinal vivemos no “submundo”, que a sociedade vislumbra na zungueira uma angolana que deve ser punida pela lei e os seus operadores. Pelo contrário, é uma heroína que hoje é injustiçada, ante o olhar tímido da sociedade e que o amanhã lhe reconhecerá o título de RAINHA DO AMOR PELOS SEUS FILHOS.



Esta guerreira que prefere lutar com dignidade para cumprir o mandamento NATURAL : cuidai dos seus filhos, na verdade está confusa; já que não entende como pode existir uma lei que está contra ela, um fiscal que a maltrata, um polícia que dispara contra ela, (…) um Estado que deveria lhe proporcionar um emprego, mas não o faz e nem tem a política de atribuir ao desempregado o mínimo para prover o seu sustento e dos seus dependentes – subsídio de desemprego - e, ainda, ouve dizer que o Estado tem o dever constitucional de proteger a vida e a dignidade humana. Ela fica mais confusa, ainda, ao deparar-se com a manifestação a favor do aborto, quando nunca viu semelhante solidariedade social pela sua causa.


Oh Mamã Zungueira, na verdade tu estás certa, a lei e eles é que estão errados, pois, se deixares o teu filho morrer por não teres dinheiro para o alimentar ou curá-lo, ninguém punirá o fiscal ou o Estado, pelo contrário, correrás o risco de ser condenada por negligência. O que fazes é sobreviver do teu suor, por não ter onde tirar e não aceitares que os teus filhos não tenham futuro. Isto o Direito aplaude, mesmo quando a lei se furta do seu fim último -JUSTIÇA.


E, assim, começa mais um dia em que te apetece seres veloz, tal e qual USAIN BOLT, não é por almejares o título de mais rápida do mundo, apenas para conseguires escapares do fiscal e ganhares o teu melhor troféu: ALIMENTAR OS TEUS FILHOS!



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: