Luanda - É falso que o subsecretário de Estado norte-americano, John Sullivan, tenha exigido ao governo angolano o afastamento em relação à China e à Rússia, assim como o reconhecimento do autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, ao contrário do que escreveu o semanário Valor Económico, na sua edição de segunda-feira, 25 de Março.

Fonte: Angop

Uma fonte diplomática angolana assegurou à ANGOP que Sullivan “não abordou o tema da Venezuela com o presidente da República, nem fez qualquer exigência em relação à China e à Rússia”.

 

Segundo a mesma, o subsecretário de Estado norte-americano reafirmou a vontade dos EUA de participarem nos esforços de diversificação da economia angolana, tendo elogiado igualmente o combate à corrupção e as medidas de moralização da sociedade tomadas pelo presidente João Lourenço.

 

O Valor Económico publicou na sua última edição quatro páginas sobre este assunto, incluindo um editorial, em que acusa o actual governo angolano de ter feito uma suposta “viragem” diplomática, afastando-se da China e iniciado uma maior aproximação com o Ocidente.

 

De acordo com o editorialista, terá sido por essa razão que, na sua visita a Pequim em Outubro do ano passado, João Lourenço teria conseguido “apenas” 6,1 mil milhões de dólares, ao invés dos 11 mil milhões avançados pela imprensa antes da mesma.

 

Nas quatro páginas que dedicou ao assunto, o semanário não reproduz quaisquer reacções das autoridades angolanas. O Valor Económico é propriedade da empresa GEM Angola Global Media, a qual, de acordo com fontes da ANGOP, possui ligações com sectores político-empresariais cujos interesses estão a ser questionados pelo novo governo.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: