Á
SUA EXCELÊNCIA PRESIDENTE
DA REPÚBLICA DR. JOÃO MANUEL GONÇALVES LOURENÇO

LUANDA

CC: SUA EXCELÊNCIA VICE PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA DR. BORNITO DE SOUSA BALTAZAR DIOGO,


MINISTRO DE ESTADO E CHEFE DA CASA DE SEGURANÇA DO PRESIDENTE DA REPUBLICA, GEN: PEDRO SEBASTIÃO


Excelência, a Operação Transparência foi lançada pelas autoridades angolanas a 25 de Setembro do ano de 2018, que tem por objectivo o combate a imigração ilegal, exploração e tráfico de diamantes e, até ao momento forçou “a saída voluntaria” de mais de 180 mil cidadãos da República Democrática do Congo e não só, maioritariamente envolvidos na prática de garimpo e compra de diamantes ilegais a nível do país.


Excelência, com esta prática do seu executivo que forçou aos imigrantes ilegais e não só, a abandonarem o território nacional, nós a classe das Cooperativas Artesanais e Semi-Industriais agradecemos e louvamos a iniciativa porque a muito que o sector precisava ser organizado visto que, para além de os diamantes extraídos de Angola não ficarem em território nacional, tiravam para “enriquecimento de outras pessoas, países”, não contribuindo significativamente no OGE do nosso país, e desta, corríamos o risco de perdermos o Certificado de Kimberley que foi criado em 2003 com o objetivo de evitar o financiamento de armas em países africanos em guerras civis, *(os chamados Diamantes de Sangue)*.


Por conseguinte Excelência, já estamos a caminho do sétimo mês da operação e até a data presente não há nenhum pronunciamento por parte da Entidade Reguladora, afim de vermos os nossos assuntos solucionadas.


É importante frisar que nós Cooperativas, somos parceiros do Estado, ajudando na criação de mais postos de emprego, dando suporte as comunidades locais abrindo vias aonde o Estado não tem ido para que haja circulação de meios e bens afecto a essas populações, pagando impostos ao Estado que de forma faz com que o mesmo arrecade mais receitas que por sua vez, contribui para o OGE.


Excelência, nos foi imputado o pagamento de um valor de +/- 20 Mil USD relativamente à impostos com advertências de que, o não cumprimento culminaria, com o cessar da actividade Mineira e não mais a emissão de qualquer Certificado Mineiro.


Neste contexto, nós Cooperativas apesar das imensas dificuldades financeiras que o país enfrenta, cumprimos com o nosso dever pagando os impostos, ficando assim comprometidos com os nossos investidores uma vez que os mesmos já fizeram investimentos avultados como, compra de máquinas e outros, para o arranque das actividades e tudo encontra-se parado em parques e outros locais que obrigam-nos a fazer pagamentos pela estadia dos meios nos locais, fora também as Cooperativas que têm mais de 400 trabalhadores e são obrigadas a; pagar salários e subsídios e no entanto as mesmas não estão a produzir e, com agravante do equipamento que está parado danificar.


Excelência, *desculpa mais desta forma não estamos Melhorar o que está bem e Corrigir o que está mal*, com os gastos que estamos a ter, como será possível as Cooperativas sobreviverem?


Será que é mesmo assim que se pretende melhorar o que está bem e corrigir o que está mal?


Apelamos aos investidores que viessem para Angola, mais no entanto, estamos a cair no descrédito porque as nossas instituições continuam a trabalhar da mesma forma que no passado recente.


Excelência tudo que nós a classe das Cooperativas queremos, é trabalhar e dar sustento as nossas famílias porque são muitas famílias que dependem de nós é desta forma como nos encontramos, não conseguimos ajudar as mesmas.


Excelência, pois acreditamos que o nosso Estado seja pessoa de bem e que tudo fará para que os seus filhos não morrão a fome e apelamos a sua Excelência por uma solução urgente porque somos Angolanos e queremos o melhor para o nosso país.

*O país agradece a classe trabalhadora*
Melhores cumprimentos,

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: