Lisboa – Um jovem angolano Walter João Bernardo, de 40 anos de idade, recorreu recentemente ao programa “Angola Urgente”, da TV Palanca, em Luanda, reivindicando ser filho do antigo chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, e por conseguinte exigir  exames de ADN, para o desfecho do assunto.

Fonte: Club-k.net

Acusa general Zé Maria de prender a sua mãe

O jovem que foi registrado pelo falecido padrasto Joaquim António Bernardo, alega que ficou a saber que o seu pai verdadeiro poderá ser José Eduardo dos Santos quando foi interpelado pelo seu antigo professor no colégio “Bom Saber”, em Luanda, que o questionou sobre o seu progenitor e lhe  garantiu  que pelas alegadas feições em comum, Walter Bernardo deve ser filho do antigo Chefe de Estado.

 

Walter João Bernardo lembra que o seu falecido padrasto, Joaquim António Bernardo também lhe advertia que um dia seria “muito feliz”, sem no entanto lhe adiantar que segredo a família guardava, para tal previsão. Porém, segundo, contou, baseando-se no que lhe foi contacto pela sua avô, o seu suposto pai José Eduardo dos Santos frequentava muito a rua onde viviam no Cassenda, “rua da engenharia”, quando ocupava o cargo de ministro do plano no governo de Agostinho Neto.

 

Diz que nunca teve contacto com JES porque alguém “muito forte” da família impedia esta aproximação. Por outro lado, contou que a sua progenitora contactou o general António José Maria, antigo chefe da secreta militar e este também impediu a uma  eventual aproximação ao antigo Presidente. Segundo Walter Bernardo, aquela patente militar foi a casa da sua mãe  destruindo eventuais pistas como fotográficas que lá havia de JES com a senhora.

 

Contou ainda que de seguida, o general José Maria prendeu a sua mãe mando-a para malanje e esta só seria solta depois de escrever ao dirigente do MPLA,  “Dino Matross”, que ordenou a sua soltura.

 

Walter João Bernardo explicou que aproximou se aos familiares de Eduardo dos Santos, mas estes pediram que aguardasse até que o patriarca resolvesse o problema de Zenú dos Santos que esteve detido durante cinco meses, em Luanda.

 

A mãe de Walter João Bernarda, a senhora Fátima Manuel, que agora vive em Portugal, falou também ao programa, por telefone, confirmando o depoimento do filho. Explicou que “conheci o camarada José Eduardo dos Santos em 1970, fui namorada dele, e não sabia que ele era ministro. Assim que namorei com ele, não sabia que estava gravida, e ele também desapareceu”.

 

Segundo Fátima Manuel “Depois da morte de Agostinho Neto ouvi que ele ficou como Presidente. Falei com as pessoas para ver se me ajudassem para ter contacto com ele, e algumas mandaram esperar tendo desconseguido resolver o problema”.

 

Fátima Manuel, contou ainda no programa que recorreu ao general António José Maria mas este ao invés de ajudar mandou-a prender. “Depois me encontrei com o general Zé Maria, que garantiu me que resolveria o problema mas não fez, pelo contrario foi em minha casa partir as minhas coisas, rasgou fotografias, que eu tinha tirado com JES, depois fiquei presa”

 

Explicou ainda que desligou-se do problema de reclamação da paternidade do filho depois de sair da prisão. “Tentei ter  mais contactos mas fiquei doente e o assunto ficou assim”.

 

Lembrou ainda que “O filho que eu tive (com Eduardo dos Santos) sempre perguntava pelo pai e eu escondi devido ao que aconteceu comigo e dai já tive medo, até agora.”

Walter João Bernardo, que já chegou, sem  sucesso, a Fundação Eduardo dos Santos (JES) para contacto com o suposto pai, diz que recorreu a comunicação social, porque todos os “barravam” para ter acesso ao antigo Chefe de Estado angolano.

Reação da familia 'Dos Santos'

O apresentador do programa, Manuel “Jójó” revelou ao programa que contactou um sobrinho de JES, Catarino dos Santos e este pediu que se aguardasse pela chegada de Eduardo dos Santos que esta em tratamento médico em Barcelona.

 

Por conseguinte, Tchizé dos Santos, a mais interventiva filha do ex- Presidente, recorreu as redes sociais para mostrar o seu descontentamento para com  os órgãos de comunicação social que levantaram o assunto, em hasta público.

 

“Pouca vergonha andarem a dignar-se a fazer destas situações notícia. Então agora podem aparecer dois milhões de cidadãos a dizerem ser filhos do PR NETO, PR JES ou do actual PR JLO e todos serão notícia?”, questionou a também líder do TEA CLUB, apelando pelo respeito.

 

A deputada faz lembrar que em 1970, data que a senhora Fátima Manuel alega ter conhecido Eduardo dos Santos, o seu pai encontrava-se no exílio como guerrilheiro do MPLA. “Se é de 1970 como ela diz, tem 48 ou 49. E nos anos 70 não existia Angola como República e a figura máxima era o Governador Da província de Angola. Em 1970, JES estava no exílio”, lembrou.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: