Luanda - O deputado André Mendes de Carvalho "Miau" foi confirmado como novo líder da Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE), num despacho de anotação do Tribunal Constitucional.

Fonte: Lusa


Em declarações hoje à agência Lusa, André Mendes de Carvalho "Miau", que substitui no cargo Abel Chivukuvuku, destituído em fevereiro passado por cinco dos seis partidos que integram a coligação por alegada "quebra de confiança", disse que o despacho confirma a sua posição de presidente da terceira força política de Angola.

 

Segundo o político, antigo vice-presidente da coligação, o despacho do tribunal, de 22 de abril, confirma ainda as posições dos sete vice-presidentes, do secretário executivo nacional, do secretário executivo nacional adjunto e de um colégio presidencial de oito membros.

 

André Mendes de Carvalho "Miau" disse que, a partir de agora, a CASA-CE "tem de continuar a preparar-se para os desafios", ultrapassado que está este obstáculo.

 

"Ganhamos uma nova etapa, mas não basta parar por aí. Temos de continuar a consolidar o nosso processo organizativo e funcional para podermos atender devidamente aos desafios que se nos colocam pela frente", disse.

 

A estrutura de direção fica alterada, prosseguiu o líder da CASA-CE, indicando que, anteriormente, havia um conselho presidencial que passou a colégio presidencial.

 

"O conselho era um órgão com cerca de 30 pessoas. O colégio, agora, tem oito e, havendo esta nova direção reconhecida pelo tribunal, temos agora de reformular a própria estrutura organizativa da CASA-CE, quer a nível central quer a nível provincial e estamos neste exercício", referiu.

 

O processo de reformulação, de acordo com o político, tem de ser "uma medida urgente", que poderá levar um mês para se definir.

 

"Vai ter de haver alguma movimentação de quadros para ajustarmos a colocação das pessoas em função das necessidades de trabalho, tendo em conta também a aptidão de cada um", frisou.

 

Questionado se, desde o rompimento entre as duas direções, mantém algum contacto ou tentativa de aproximação a Abel Chivukuvuku, André Mendes de Carvalho "Miau" admitiu que sim.

 

"Há tentativas. Contactos vamos mantendo, agora aproximação anda na base do individual. Vamos discutindo e as pessoas vão caindo na realidade", salientou, sem adiantar pormenores.

 

Em fevereiro deste ano, representantes de cinco dos seis partidos políticos que constituem a coligação, criada em 2012, anunciaram a destituição de Abel Chivukuvuku, nomeando em seu lugar André Mendes de Carvalho "Miau".

 

Em causa está a divisão entre membros dos partidos que constituem a coligação e militantes independentes, que, segundo Abel Chivukuvuku, em declarações à agência Lusa, em fevereiro, foram afastados.

 

"Primeiro, foram quase todos os independentes dos órgãos, depois, foram os secretários provinciais e eu fui o último que querem afastar", referiu Abel Chivukuvuku, na altura, admitindo que a crise interna já se arrastava há alguns anos.

 

A destituição de Abel Chivukuvuku do cargo foi justificada pela alegada "quebra de confiança" entre os membros que, durante seis anos, vivenciaram momentos altos e baixos, marcados pela tentativa da transformação da coligação em partido, sem o devido consenso.

 

A CASA-CE conta com seis partidos membros - PADDA-AP, PPA, PNSA, PALMA, PDP-ANA e Bloco Democrático.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: