Luanda - No dia 28 deste mês, às 10 horas, irei a julgamento no Palácio Dona Ana Joaquina, por causa de uma matéria jornalística publicada no “Jornal de Angola” a 9 de Maio de 2017. Apesar de ter sido afastado em Novembro de 2017 do cargo de Director do jornal e de PCA da empresa, não me importo de ir defender em tribunal a jornalista autora da matéria, Kátia Ramos, o jornal que dirigi ao longo de 10 anos, e ao qual já nada me liga, e a empresa Edições Novembro.

Fonte: Facebook


A história é simples. Nas eleições para bastonário da Ordem dos Engenheiros de Angola (OEA) de 2017, o candidato da Lista B, eng.º Barnabé Raimundo, foi excluído do pleito. Durante a cerimónia pública em que o vencedor, eng.º Augusto Paulino Neto, tomou posse como novo bastonário, na presença da Ministra da Indústria, o presidente da Comissão Eleitoral, António Caldas, apresentou as razões que levaram a CE a excluir o candidato da Lista B, eng.º Barnabé Raimundo, da disputa eleitoral. As alegações eram graves e de interesse público. Agindo profissionalmente, a jornalista Kátia Ramos reproduziu (e bem) as razões da exclusão do candidato, citando-as correctamente, atribuindo-as ao presidente da CE, com as devidas aspas, como mandam as regras do jornalismo.


O candidato excluído sentiu-se caluniado pelas declarações do presidente da CE e dirigiu-se à sede do jornal para protestar pelo conteúdo do texto. Pelo seu mensageiro, ouvi a reclamação e aconselhei o eng.º Barnabé Raimundo a escrever uma carta detalhada ao jornal, garantindo que a publicaria integralmente. Melhor forma de repor a verdade não havia. Mas em vez de escrever a carta a defender-se das declarações feitas pelo representante da Comissão Eleitoral (não pelo jornal), o engº Barnabé Raimundo foi queixar-se à polícia...


Seja qual for o desfecho deste caso, ele mostra que a profissão de jornalista continua sujeita a muitas vicissitudes e ameaças - e não tem sido suficientemente protegida. As ameaças aos jornalistas não terminaram.
As ameaças continuam.

Esperemos que se faça justiça.
Ass: José Ribeiro

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: