Lisboa  - Carlos Alberto Contreiras Gouveia, candidato a Presidência da Republica  é um cêntrico-Cristão, nasceu no bairro Operário, município de Sambizanga, Luanda,  aos 14 de Março de 1966. Tem 8 filhos.

 

Fonte: Club-k.net

 Considera-se lutador sem tréguas
 contra a corrupção e o suborno

ImageÉ  Doutorado em Ciências Políticas e Económicas pela Universidade de Boston, Massachusetts, Estados Unidos da América-USA. É jornalista, mestre 5º Dan de Karaté, poeta, compositor, escritor e filósofo. É fundador e líder do Partido Republicano de Angola-PREA.

 

Assume-se como o maior exponente promotor da democracia na oposição política em Angola motivos estes que o fazem crer ser   “um  verdadeiro lutador sem tréguas contra a corrupção, o suborno, a ilegalidade e a ilegitimidade e as injustiças sociais.” Diz que o  seu objectivo primário  é restituir a dignidade e os valores morais e culturais do povo angolano, preservando a paz, a unidade e reconciliação nacional e a democracia para o bem comum do povo angolano.

 

Os seus opositores atribuem lhe  um lado controverso.  Nas vésperas das eleições legislativas  ao  se aperceber que a candidatura do seu partido seria  chumbada pelo Tribunal Constitucional, Carlos Contreiras reuniu sete partidos da oposição que estavam na mesma condição que ele e formou  o chamado grupo dos sete (G7). O Objectivo do grupo era apoiar o MPLA que segundo Contreiras aos microfones da TPA disse:  “Nos sempre fomos filhos do MPLA”.

 

Dias depois veio a publico retirar o apoio  dizendo que o MPLA não era democrático.  Surgiram, na altura, rumores de que a sua mudança de decisão   nada tinha haver com falta de democracia do partido que dias antes ele considerou ser o mas apto para governar Angola. Foi revelado  que deveu-se ao facto de o MPLA lhe ter negado valores  exorbitantes  que exigia para repartir com os seus amigos do auto intitulado “G7”.

 

 Contreiras segundo dizia-se teria  resmungado ao  MPLA de que a UNITA soube recompensar os partidos da oposição que lhe apoiavam. Da sua boca terá saído que Carlos Leitão recebeu da UNITA carrinhas e dinheiros e que os Poc`s receberam 300 mil dólares, do “Galo Negro”. Carlos Contreiras procurou convencer que o MPLA como maioritário deveria oferecer muito mais que a UNITA deu aos seus apoiantes. Face a rejeição, Contreiras passou a ver o MPLA como um partido que "carece de democracia".

 

-- Nota: Consulte --
* Últimos artigos/relacionados publicados:

1 - Carlos Contreiras pede asilo político a Espanha  no Club-k

 2 - Registro do atentado contra Carlos Contreiras

 

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: