Benguela - O activista angolano José Patrocínio mostrou que “não se deve ter medo da verdade”, disse o padre Paulino Koteka, da Comissão de Justiça e Paz da Diocese de Benguela.

*João Marcos
Fonte: VOA

Patrocínio, que fundou a organização de direitos humanos OMUNGA, morreu no Sábado e foi a enterrar hoje Terça-feira.

 

O padre Koteka lembrou que Patrocínio esteve envolvido numa​ “luta intelectual, pacífica”.

 

“Foi corajoso ao dar a cara em prol da justiça, perante a violação dos direitos humanos, mostrando à sociedade que não devemos ter medo da verdade”, disse.

 

“É um mártir da verdade’’, acrescentou.

 

Outros activistas disseram que morte do dirigente da OMUNGA não vai parar as activdades desta organização que se envolveu também em questões como defesa do meio ambiente.

 

João Misselo da Organização Humanitária Internacional (OHI) em Benguela disse que ‘‘há um conselho directivo, por isso haverá capacidades e habilidades”.

 

Para além disso, existem parceiros sólidos, como a União Europeia e a Open Society, que vão sempre engajar a organização como referência no quadro da promoção da cidadania’’, sustenta o também activista.

 

Para já, fica garantido o apoio institucional da Associação Juvenil para a Solidariedade (AJS), manifestado por Lofa Marcelino.

 

‘’Todos nós, que nos revemos nesta causa, faremos o suficiente para que os ideais não morram, vamos continuar a lutar’’, garante Lofa.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: