Luanda - O Ministério das Finanças angolano anunciou hoje que Angola está a preparar o primeiro Relatório de Avaliação Nacional de Risco (ANR), branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo, destinado a ajudar a mitigar os constrangimentos existentes.

Fonte: Lusa

Num comunicado, o ministério tutelado por Archer Mangueira salienta que o documento vai servir de base para a próxima avaliação de Angola, em 2021, pelo Grupo Contra o Branqueamento de Capitais e Financiamento ao Terrorismo para África Oriental e Austral (ESAAMLG).

 

Para apoiar a elaboração do primeiro relatório, prossegue-se no comunicado, foi realizado terça e quarta-feira, em Luanda, o terceiro "workshop" ministrado pelo Banco Mundial, sob coordenação da Unidade de Informação Financeira (UIF) angolana.

 

"O documento visa apresentar os riscos do país e o trabalho a ser desenvolvido para a mitigação dos mesmos. Vai ainda reforçar a credibilidade do sistema financeiro, a eficácia e robustez do país perante a comunidade internacional, bem como levar Angola a minimizar o risco e vulnerabilidades em matéria de branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo", lê-se no comunicado.

 

A elaboração do relatório é feita por quadros angolano ligados à administração do Estado e contou com o envolvimento da sociedade civil e organismos com destaque para os ministérios das Finanças, Justiça, Interior, Comércio, Geologia e Minas.

 

No "workshop" participaram igualmente quadros da Procuradoria-Geral da República (PGR), Serviço de Inteligência e Segurança do Estado (SIC), Serviço de Inteligência Externa (SIE), Serviço Nacional da Contratação Pública (SNCP), Serviços de Investigação Criminal (SIC), Comissão do Mercado de Capitais (CMC), Banco Nacional de Angola (BNA) e vários institutos públicos, entre outros.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: