Lunda Norte – Camara Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço, vosso silêncio perante acções de um governante que atentam contra a vida de um histórico partido na província, é dizer não a Lunda-Norte.

Fonte: Club-k.net
E enche-nos de perguntas, se, o Camarada Presidente perdeu de vista o passado político do Muangala? Não estará ele a trabalhar com fins de favorecer a antiga filiação?

O avanço de outras forças políticas e dos que revindicam autonomia do território Lunda, não terá encontrado neste um conforto? Camarada Presidente, deveria direcionar seus censores nas praças e esquinas desta província.

A Lunda Norte, já contribuiu com cerca de 85% para o orçamento geral do estado, ao ser deixado a mercê de um fascista cuja militância iguala-se a uma garota de programa é entregar o pão dos filhos aos porcos, é atentar contra um soberano povo.

Camarada! A relação entre o Primeiro Secretário Provincial da Lunda Norte e os militantes do partido, atingiu níveis de insustentabilidade. As queixas que circulam nas redes sociais, nos mais variados meios de comunicação bem como no seio dos militantes na província, são disso a prova irrefutável de que algo não vai bem no reino do soba Muangala.

Importa lembrar que, a grandeza do nosso glorioso partido reside no “equilíbrio”. Estratégia que não encontra eco no reino do Muangala ou seja, citar “equilíbrio” é legalizar uma prisão na comarca da Cacanda, é apelar para o desemprego. Que o diga o ex-1º secretário municipal da JMPLA do Chitato, camarada José Ndala, que viu suspenso seu mandato pelo facto de ter usado o termo “nepotismo” num dos encontros orientado pelo soberano Muangala.

A lista de candidatos a Comité Central do MPLA saída na quinta conferência extraordinária decorrida no dia 18 de Maio no Dundo, é a demonstração clara de que, estamos perante um fascista, nepotista, afilhadista, tribalista, regionalista e antidemocrático, que opta por integrar pessoas por conveniências com o fim de escamotear seus malefícios e continuar a pisotear os militantes genuínos do MPLA.

Muangala não respeita o pluralismo de ideias, o equilíbrio e a democracia interna do partido. É á prova irrefutável de que o MPLA na Lunda-Norte rege-se a base de um sistema monárquico.

A pergunta é: - a Lunda-Norte está constituída apenas pelos municípios de Tchitato e Cambulo? (“Terra natal do Muangala”). – De que servem os restantes oito municípios nomeadamente; Lucapa, Louva, Cuilo, Lubalo, Capenda-Camulemba, Caungula, Cuango e Xá-Muteba?.
Eis a lista para membros do Comité Central do MPLA:

1. Ernesto Muangala - Governador, 1° Secretário Provincial do MPLA, membro do BP e do CC - naturalidade - Cambulo.

2. Fernando Terça Quindji - Segundo Secretaria Provincial e Membro do CC -Naturalidade – Cambulo

3. Deolinda Ódia Paulo Satula Vilarinho - Vice-Governadora da Província da Lunda-Norte, para o Sector Político, Social e Económico e membro do CC - naturalidade - Cambulo

4. Caquece Emanhi - Primeiro Secretario Provincial da JMPLA e membro do CC - naturalidade - Cambulo.

5. Angélica Nené Curita Ihungo - Deputada a Assembleia Nacional e membro do CC, naturalidade - Cambulo.

6. Moisés Nele - membro do CC, naturalidade - Cambulo.

7. Jorge Ribeiro Wefu - Deputado a Assembleia Nacional e membro do CC, naturalidade - Tchitato.

8. Paciência Gomes - Secretaria Provincial da OMA e membro da CC (embora natural do sul) residência - Tchitato.

9. Domingas Zeferino Martins, administradora municipal do Lôvua e membro do CC – Naturalidade - Tchitato

10. Lenin - Decano da Faculdade e membro do CC – Naturalidade – Tchitato.

11. Luís Quitamba, Inspector Provincial e Membro do CC – Nasceu no Capenda- camulemba, residência fixa - Tchitato.

12. Lucala Quipungo, membro CC, naturalidade - Xá-Muteba (suplente das conferencia passado).

Camaradas, não seria mais justo a atribuição de uma cifra como forma de representatividade de cada município no Comité Central? Com tamanha subjugação dos demais municípios, espera-se algum esforço dos militantes ao serviço do Partido? Ou perante os estatutos do MPLA Muanagla é o militante numero zero?

CAMARADA PRESIDENTE SALVE A LUNDA-NORTE

A falta de representatividade dos restantes municípios quer ao nível das estruturas provincial como central do Partido, está a provocar declive no seio do Mpla, consequentemente a fortalecer a oposição.

Os Municípios baluarte do MPLA estão, por questões subjetivas à serem relegados para o segundo plano. Gravosa ainda, a estrutura do partido na Lunda-Norte, foi invadida por pessoas que não reúnem histórico no Partido, e com passado recente duvidoso, como é caso do actual secretário do departamento de administração e finanças do Comité Provincial do MPLA (DAF), Figueiredo Mwambongue, ex-bolseiro da UNITA, que refugiou-se em Portugal aonde tem a residência fixa. Este camarada, consta na lista dos indivíduos que assaltaram os cofres centrais da endiama no município do Lucapa, antiga capital da Lunda norte.

A pergunta que não quer calar é, será que Muangala despiu-se mesmo da teoria do partido PRS do qual foi representante na RDC?

De tanto sentir-se protegido, a sua falange de apoiantes e familiares dizem em mensagens que circulam pelas redes sociais que, “o Presidente do partido tem-lhe na mira para substituir o actual Secretário-geral camarada Boavida Neto, por este não concordar com a visão do líder do partido”.

Perante camarada Muangala, militantes são meros irracionais. Deveria lembrar-se que foram aqueles que ele agora chama de cães que o acolheram e fizeram chegar ao BP. Se continuasse no Soyo ou Namibe teria lá chegado? Isso tem um nome, ”ingratidão”. Se tem pretensões de ser Secretário-geral do MPLA, que se vá embora que ninguém lhe quer ver mais na Lunda-Norte.

Se vai ser substituído pelo Terça Quindji, conforme a sua estratégia, que assim seja. Mas, ele que se vá embora antes das eleições autárquicas. A sua presença na Lunda-Norte constitui uma ameaça séria para os objectivos do partido.

A Lunda-Norte, precisa de um Governante despido de preconceito tribal, de regionalismo, que invista na formação de quadros, que promova a unidade.

Nepotismo na Lunda-Norte ganhou lugar de destaque, é arma forte do Governador Muangala, quer na estrutura do partido assim como no governo.
Perguntem a Vice Governadora para Sector Político Social e Económico Sra. Deolinda Ódia Satula Vilarinho, o quão sentiu na pele em detrimento do Luís Figueiredo Muambongue, um “incompetente” que fez perder o MPLA no Lucapa, mas, por ser amicíssimo, Muangala queria a todo custo impor-lhe na cadeira da actual vice governadora.

Informem-se sobre o Administrador Municipal do Tchitato, Alberto Muquendi, irmão de uma das esposas oficiais e concunhado do Muangala e perguntem igualmente quem são os diretores e chefes de secções nos lugares cimeiros do município, grosso modo são parentes.

Estas e outras situações assemelham-se com os 25 autocarros públicos entregues a província para minimizar as dificuldades de circulação de pessoas e bens, cujo destino se desconhece.

“Acções do primeiro secretário do MPLA Ernesto Muangala, abrem alas para o fortalecimento da oposição”.

CAMARADA PRESIDENTE SALVE A LUNDA-NORTE



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: