Cabinda - O Tribunal de Cabinda ditou hoje, segunda-feira, a sentença de condenação dos cinco (5) réus acusados pela morte do cidadão francês, Benoit Pierre Nayme, a 29 de Novembro de 2016 na sua residência no bairro, Cabassango, arredores da cidade de Cabinda.

Fonte: Angop

Os réus, Basílio Puati, António Francisco *Cabelo Branco*, Feliciano da Silva Muculo, angolanos de nacionalidade e Patrício Bumba e Mawana Manzambi NFumu, ambos da República Democrática do Congo, havia sido acusados pelo Ministério Público como presumíveis autores da morte na madrugada do dia 29 de Novembro de 2016 na sua casa no bairro Cabassango, o cidadão francês, Benoit Pierre Nayme com uma barra de madeira.

 

Na sentença lida hoje pelo Juiz de causa, Domingos Wilson, depois de apurados os factos que juntaram as provas da verdade durante os dois dias de julgamento, o tribunal decidiu aplicar a sentença de 23 anos de prisão maior ao réu, António Francisco Mavango (Cabelo Branco) como mentor do hediondo crime, constantes na prática de crime de roubo concorrente, homicídio e associação de malfeitores.

 

Foram também condenados, os réus Mawanga Mamzanbi, cidadão da RDC a dois (2) anos de prisão e cumprida a pena deverá ser entregue ao SME para sua expulsão do território nacional, enquanto que, Feliciano da Silva, angolano, foi ditada a sentença de um (1) ano (com pena suspensa), ambos acusados por crime de venda e compra de bens roubados (plasma, telemóvel e PlayStation) pelo autor do crime, o réu, António Francisco Mavango, na residência do cidadão francês.

 

Já o réu, Basílio Puati, ex-segurança da casa onde residia o cidadão francês foi condenado a um (1) ano por negligência consciente, por não reagir no dia em que se consumou o homicídio, ao passo que outro congolês democrático, Patrício Mbumba foi absolvido por falta de provas, mas, o tribunal orientou o encaminhamento ao Serviço de Migração e Estrangeiros para seu repatriamento.

 

O Tribunal de Cabinda iniciou esse julgamento do caso da morte do cidadão francês em Cabinda no dia 29 de Maio deste ano e durante dois dias os cinco (5) réus acusados pelo Ministério Público foram ouvidos diante de familiares de Benoit Nayne, e de membros da Embaixada Francesa em Angola.

 

O cidadão francês Benoit Pierre Nayme, era trabalhador da empresa de prestação de serviços no campo petrolífero de Malongo, denominada, Friend Land, e residia numa casa alugada na zona do bairro, Cabassango, local onde se praticou o crime.

 

O Cônsul da Embaixada da França em Angola, Therry Dengler, assistiu hoje o desfecho que ditou a sentença ao criminoso e autor do homicídio, tendo mostrado satisfação pela decisão do tribunal.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: