Lisboa - Falso consultor financeiro foi procurado por um empresário que pretendia transferir um milhão de euros de Angola para Portugal. Arguido pediu 100 mil euros de comissões para garantir transferência de capitais através de contactos junto de instituições financeiras angolas, a qual nunca se realizou.

Fonte: Jornal Económico

O Ministério Público deduziu acusação contra um falso consultor financeiro que garantia a empresários conseguir transferências milionárias de capitais de Angola para Portugal a troco de comissões. Arguido é acusado dos crimes de burla qualificada, falsificação e apropriação de dinheiro a pretexto de intermediação na transferência de dinheiro, revela a Procuradoria Geral Distrital do Porto (PGDP).

 

Em comunicado a PGDP revela que no dia 23 de maio deste ano, o Ministério Público no DIAP da Procuradoria da República de Braga (Braga, 1.ª secção), deduziu acusação contra um arguido, imputando-lhe a prática de um crime de falsificação de documento e de um crime de burla qualificada. “O Ministério Público indiciou que o arguido se intitulava publicamente consultor financeiro e que alardeava conseguir junto das instituições financeiras angolanas legítimas saídas de divisas para outros países, entre eles Portugal”, avança a PGDP.

 

Segundo a acusação, em 2016 o arguido foi procurado em Vila Nova de Famalicão por um empresário que pretendia transferir capitais de Angola para Portugal e, acrescenta a PGDP, que “logrou que este lhe entregasse cem mil euros a título de começo de pagamento da comissão devida pela efectivação de uma transferência de um milhão de euros, de Angola para Portugal, que se comprometeu a realizar, o que nunca fez”.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: