Dakar – Duzentos e trinta e oito quilos de cocaína foram apreendidos quarta-feira no Porto de Dakar, anunciou a Alfândega Senegalesa. num comunicado de imprensa.

Fonte: PANA

"A droga foi descoberta em quatro carros novos, de marca Renault, num lote de 24, abordo de um navio proveniente do porto de Paranagua (Brasil) com destino a Luanda (Angola)", precisa a fonte.

 

A Alfândega indicou que os seus serviços abriram logo um inquérito para revistarem todos os carros suspeitos.

 

Esta apreensão confirma o papel de trânsito que desempenha a capital senegalesa no tráfico internacional de droga entre a América Latina, África e a Europa.

 

"Dakar representa uma zona de trânsito de todas as espécies de drogas proveniente da América Latina. Antes, os traficantes iam diretamente para a Europa. Agora, eles descobriram uma nova via, a nível da África Ocidental”, declarou, segunda-feira em Dakar, o coordenador do Comité Interministerial de Luta contra a Droga (CILD) no Senegal, o general Matar Diop.

 

Ele falava durante uma cerimónia de incineração de quatro toneladas de drogas apreendidas em Dakar entre janeiro e junho do ano de 2019.

 

No seu relatório de 2016, o Escritório das Nações Unidas contra a Droga (ONUDC) sublinhou o papel de pivô de Dakar no tráfico internacional de droga e exortou as autoridades senegalesas a reforçarem o controlo nas fronteiras, nomeadamente no aeroporto e no porto de Dakar.

 

No quadro da luta contra a droga, o ministro senegalês do Interior, Aly Ngouille Ndiaye, lançou, terça-feira, em Parcelles Assainies (subúrbio de Dakar), a 32.ª Semana Nacional de Sensibilização e Mobilização contra Drogas.

 

Esta semana em apreço realiza-se, de 24 a 29 de junho corrente, sob lema “A Prevenção do Uso das Drogas no Meio Escolar: Abordagem Inclusiva e Participativa para Preservar o Futuro da Juventude Senegalesa”.

 

"Para melhor lutar contra o tráfico de drogas, o controlo territorial foi reforçado, as capacidades das forças de controlo melhoradas com o fornecimento de equipamentos, como o scanner. Apesar dos esforços importantes envidados com a contribuição da sociedade civil, o problema da droga continua a ser inteiro”, declarou Ndiaye.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: