Luanda - O presidente do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), António Tingão Mateus, prepara-se para convocar a assembleia-geral que vai eleger nova direcção daquela plataforma juvenil.

Fonte: Club-k.net

O actual presidente António Tingão Mateus e seu vice-presidente Massangano Domingos encontram-se em situação ilegível por terem os dois mais de 40 anos de idade.

 

Entretanto, Walter Ferreira responsável da Plataforma Juvenil para a Cidadania, defende rejuvesnecimento no Conselho Nacional da Juventude, liderado desde Março de 2016 por Tingão Mateus de 40 anos de idade. O CNJ, deve convocar o seu congresso electivo dentro de cinco meses.

 

Walter Ferreira que inúmeras vezes pediu a extinção do Conselho da Juventude por, no seu entendimento, não ser representativo, advoga agora o seu redimensionamento com a substituição de Tingão Mateus pelo actual Secretário Executivo provincial de Luanda, Isaías Kalunga, a quem considera estar mais alinhado com o novo paradigma de governação do Presidente da República, João Lourenço.

 

“a actual liderança não representa a juventude” disse.

 

O líder da Plataforma Juvenil para a Cidadania, justifica que, Isaías Kalunga é dinâmico e consegue mais facilmente mediar os interesses da Juventude com o Estado.

 

Ferreira diz que, apesar de admitir impedimentos estatutários, a organização que dirige está a ponderar concorrer a membro do CNJ caso haja condições. “estou a ponderar senhor jornalista” disse, líder da Plaforma Juvenil para Cidadania defende nova liderança do Conselho Nacional da Juventude comprometida com desafios de governação de João Lourenço.

 

Direção do CNJ acusada de gestão danosa, corrupção e nepotismo

 

É a segunda vez que a Direção do CNJ é acusada de ter cometido crimes de gestão danosa.


A primeira vez foi em Agosto de 2018 quando membros da sua própria Direção fizeram um abaixo assinado, acusando-os de várias irregularidades.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: