LisboaManuel Filipe Dias dos Santos, Presidente do Conselho de Administração da Clinica Multipefil, colocou, na semana passada, o cargo a disposição, por causa de uma exposição que os funcionários enviaram ao Presidente da República, denunciando uma alegada gestão incorrecta dos fundos da instituição. Os descontentes queixaram-se também de um alegado abuso de “ordens superiores” que estariam a ser baixadas por uma assessora de nacionalidade brasileira.

Fonte: Club-k.net

Como resultado da pressão que ocorria naquela clinica,  o médico  Manuel Dias dos Santos decidiu apresentar o seu pedido de demissão do cargo na qual havia sido nomeado pelo Decreto Presidencial n.º 162/17, assinado pelo antigo Presidente José Eduardo dos Santos.

 

No dia 15 de Julho, data em que fez o anuncio do pedido de demissão, Dias dos Santos que é igualmente docente da Faculdade de Medicina da UAN, agradeceu a sua equipa de trabalho, lembrando que “se muito foi feito, sabemos que muito ficou por fazer”.

 

Antes da exposição enviada ao Presidente da República, os trabalhadores levantaram publicamente questões sobre os gastos que a clínica estaria a ter com os médicos expatriados com realce aos de origem brasileiras.

 

Numa das exposições - enviada ao Club-K - os seus autores explicam que “as coisas começam com Cristiane Oliveira Canjuto, assessora do PCA da Clínica Multiperfil” e que “esta tem um elevado poder lá dentro, pois intimida administradores e chefes de departamentos, chefes de secção e funcionários em geral, todos a temem”.

 

A assessora brasileira é citada como tendo o comando dos trabalhadores expatriados com realce a portuguesa Patrícia Loureti, dos Recursos Humanos e a brasileira Luana Filardis, coordenadora de Finanças. É através desta última que, segundo os trabalhadores, se realizavam as “ordens de saque e ir as Finanças”

 

“Esta ramificou a Multiperfil em todas as áreas com expatriados, dificultando ao máximo os nacionais,  facilitando assim mais os roubos onde nas áreas chaves estes têm o controle e fazem o que quiserem dais tais áreas como finanças,  compras e informática sendo estas tuteladas pelo PCA da instituição”, le-se na exposição.

 

Os descontentes  entendem que “o valor gasto com expatriados é muito grande e muitos aprendem a fazer tais trabalhos, em Angola”. Os mesmos apelam que se valorize mais o nacional porque no seu ponto de vista “não precisamos de ter enfermeiros Brasileiros, facturistas Brasileiros, Armazenistas, fisioterapeutas”, porque “este dinheiro gasto em salários mensais somam-se em biliões de kwanzas anuais estamos a enriquecer expatriados”.

 

A Clinica Multiperfil esta “formalmente” inserida como parte dos órgãos dependentes e tutelados pela Casa de Segurança da Presidência Republica (PR) regendo-se de um estatuto próprio proposto pelo então Ministro de Estada, Manuel Hélder Vieira Dias “Kopelipa” ao PR.

 

Inaugurada a 08 de Novembro de 2002, pelo então Presidente José Eduardo dos Santos, a Multiperfil nasceu com o objectivo de ser um centro formador e disseminador de conhecimentos nas áreas médicas de maior complexidade tecnológica.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: