Luanda – A Directora do Serviço Nacional de Recuperação de Activos da Procuradoria Geral da República, Eduarda Rodrigues deu por concluída a lista de bens a serem aprendidos ao arguido Joaquim Sebastião, que no passado exerceu o cargo de director do Instituto Nacional  de Estradas de Angola (INEA).

Fonte: Club-k.net

PGR dá 72h a esposa e filhos para abandonarem residência

"Que sejam aprendidas os bens e imóveis abaixo descrito pertencentes ao arguido preso Joaquim Sebastião, podendo o actual responsável a ela assistir e fazer-se acompanhar de pessoas da sua confiança", lê-se na ordem da magistrada. 

 


Na noite de quinta-feira (25), uma das residências de Joaquim Sebastião, onde vive a esposa e filhos, foi cercada por forças da Policia Nacional, tendo os efectivos armados  ordenado que ninguém mexesse nas coisas.  Na manha desta sexta-feira (26), uma equipa da PGR, esteve na referida  residência no Talatona,   com ordem de apreensão de carros e da casa da família. A equipa da PGR deu   72 horas, para que a esposa de Sebastião e as crianças  desocupassem da moradia, gerando trocas de palavras. 


De acordo com o apurado, os advogados da familia  protestaram da decisão de da procuradora Eduarda Rodrigues baseando-se em considerações de que o assunto “transcende a justiça”,  precipitando  um clima de confusão.

 

“Está instalado um clima de instabilidade e de falta de conhecimento jurídico na PGR, pois a Direcção dos activos desconhece os seus limites e reais competências, atropelando a lei e substituindo o DNIAP”, refere fonte próxima  a defesa.


Diante do clima de confusão instalado, os familiares do antigo Director do INEA,  Joaquim Sebastião não assinaram o documento que lhes foi dado tendo a equipa da PGR prometido regressar ao local, para o desfecho do assunto (despejo). 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: