Luanda - A posição é de João Pires, que falava durante o primeiro Workshop sobre Empreendedorismo Social, promovido pela Universidade Agostinho Neto, realizada nesta sexta-feira, 26 de Julho, no Campos Universitário, em Luanda, que contou com a participação dos Estudantes das diferentes unidades orgânicas da UAN, docentes universitários, jornalistas, convidados e representantes do governo.

*Adriano Kanganjo
Fonte: Club-k.net

O moderador do segundo, dos dois painéis do certame, elucidou, a margem das preleções, para os estudantes, e aos presentes em geral, a necessidade de se empreender.


“Estamos de facto a querer dizer que empreendam, apliquem vossos conhecimentos no sector privado, ou criem vossas empresas, porque nós estamos cada vez menos com mais espaços, por outras palavras, o estado não tem dinheiro para aumentar os seus recursos humanos”.


Segundo o empreendedor, “O estado está neste memento mais na disposição de comprar serviços, consultorias, do que gerar mais empresas públicas. Não é que está fechado, mas tem empresas bastante difíceis, que o estado talvez venha recrutar, mas não em quantidade, no volume que vinha recrutando até então. Para dizer que, é preciso empreender, é preciso acreditar em nós, existe muitas oportunidades fora do Estado.


O também locutor incentivou aos estudantes a proceder a seus estudos, e em simultâneo, frequentarem a cursos profissionais de curta duração.


“É importante, no meu ponto de vista, como empreendedor também, que não perca os quatros anos a fazer somente a vossa licenciatura. Façam formação profissional a tarde. Estuda de manhã, faz um curso de informática a tarde, faz um curso de contabilidade, faz um curso de Inglês, tendo considerado que, a formação superior é uma alavanca, mas essas formações profissionais são muito importantes”.


Entretanto, no âmbito do fomento ao emprego, o Presidente da República prometeu durante a Campanha Eleitoral de 2017, a criação de 500 mil postos de trabalho, o que de acordo com apreciação de especialistas, é um desiderato que se vislumbra impossível concretizar-se.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: