Luanda - O Banco Yetu remodelou o seu Conselho de Administração, elegendo dois novos administradores. Paulo Jorge da Cunha Fontes, bancário com passagem pelo BCA e Standard Bank Angola, foi indicado para o cargo de Presidente da Comissão Executiva, em substituição de André Lopes, que em Junho passado renunciou o cargo para assumir a liderança do BPC.

Fonte: Club-k.net

A informação consta de um comunicado de imprensa divulgado nesta sexta-feira, 2 de Agosto, que dá conta que a remodelação resulta da deliberação tomada pelos Accionistas em Assembleia Geral Extraordinária, realizada no dia 26 de Julho, na Sede daquele Banco, em Luanda, no estrito cumprimento da Lei de bases das Instituições Financeiras.

 

A nota indica ainda que pelo facto dos Srs. António André Lopes e João Dias de Carvalho terem renunciado os seus mandatos, os Accionistas do Banco Yetu elegeram dois novos membros do Conselho de Administração para o triénio 2018-2021, nomeadamente, Paulo Jorge da Cunha Fontes que passa a exercer as funções de Presidente da Comissão Executiva e João da Costa Ferreira para a função de Administrador Executivo.

 

O Conselho de Administração do Banco Yetu passa assim a ser composto por sete Administradores, com destaque para Eduardo Leopoldo Severim de Morais, ex-ministro das Finanças, que continua a presidir o Conselho de Administração, enquanto que Eurico Camutenga, Hailé da Cruz, Sebastião Manuel e Fernando Vunge, encerram a lista de Administradores.

 

Com cerca de 14.000 clientes, o Banco Yetu é uma instituição financeira angolana, que actua principalmente nos segmentos de corporate e private banking, que iniciou a sua actividade em 17 de Setembro de 2015, e conta actualmente com um capital social de Akz 9.000.000.000,00 (nove mil milhões de kwanzas).

 

Ao assumir a liderança da Comissão Executiva, Paulo da Cunha Fontes, herda a responsabilidade de consolidar a expansão da instituição em todo território nacional, através de uma cobertura gradual e adequada de agências, abertas neste momento já em Luanda, Benguela e Cuando Cubango, bem como tornar o Banco Yetu numa unidade de referência no sistema bancário angolano.

ACTIVOS CONTINUAM A CRESCER

De acordo com os dois últimos relatórios ‘Banca em Análise’ da Deloitte, os activos do Banco Yetu deram um salto de quase 150%, ao saírem de 4.824 milhões de kwanzas, em 2015, para 12.012 milhões até 31 de Dezembro do ano passado. A prestação positiva do Banco Yetu deve-se sobretudo às exigências do grupo de accionistas que querem transformar a instituição financeira, num Banco de Excelência na prestação de serviços financeiros, na sua relação com todos os actores do sector, apostando na Inovação, produtos e serviços diferenciadores e estabelecendo uma dinâmica tecnológica acessível a todos.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: