Lisboa – O grupo parlamentar do MPLA, por intermédio do seu deputado Roberto Leal Monteiro “Ngongo”, terá enviado uma missiva ao Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, solicitando a revogação da “Ordem do Comandante-em-Chefe n.º 27/17”, assinada por José Eduardo dos Santos, dias antes de deixar o poder, que promovia o então  general  de três  estrelas, Manuel Hélder Vieira Dias Júnior  “Kopelipa”,  a general de exército de quatro estrelas, na reforma.

Fonte: Club-k.net

Ex-PR violou  lei militar   para agradar amigo 

Na argumentação de Roberto Leal Monteiro “Ngongo” que a nível do parlamento, chefia a comissão de Defesa, Segurança Nacional, Ordem Interna e Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, a referida promoção a “Kopelipa” é ilegal, porque o mesmo nunca foi Chefe de Estado Maior General das FAA (CEMGFAA).

 

A patente de quatro estrelas, em Angola, é reservada aos Chefe de Estado Maior General das FAA, no exercício das suas funções. Desde a sua fundação, o exercito angolano teve apenas cinco CEMGFAA, que são:

 

1.João Baptista de Matos,
2.Armando da Cruz Neto,
3.Francisco Furtado,
4. Agostinho Nelumba "Sanjar"
5. Geraldo Sachipengo Nunda.
6. Egídio de Sousa Santos “Disciplina” (actual)

 

De acordo com a denúncia do deputado Roberto Leal Monteiro “Ngongo”, que também é militar na reforma, o antigo chefe da Casa de Segurança, general “Kopelipa” nunca foi CEMGFAA pelo que não pode ser promovido a “general de quatro estrelas”, por isso considera mesmo  ser uma patente ilegal.

 

“Ngongo” lembrou o seu próprio caso que já desempenhou funções de Comandante da Força Aérea Popular de Angola/Defesa Aérea e Anti-Aérea (FAPA/DAA), e que nem por isso é “general de exercito de quatro estrelas”.

Tema relacionando

“Kopelipa” promovido a general de exército

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: