Luanda - Segundo a nossa fonte, os filiados tomaram conhecimento do saque na 1a primeira assembleia geral de trabalhadores realizada, em Janeiro deste ano no pátio da pátio da empresa, na qual o actual líder sindical, Ricardo Amaral, denunciou que encontrou a conta zerada, sem nenhum Kwanza.

Fonte: Club-k.net

"Na qualidade de filiados e porque nos descontam todos os meses para o sindicato, o líder da antiga comissão sindical Manuel António deve justificar que destino ele e o adjunto dele Nascimento terão dado ao nosso dinheiro, que não é pouco" , denunciou a fonte.


Pra o efeito a fonte avançou que já existe um abaixo assinado dos filiados sobre isso que vão remeter, na próxima quinta feira dia 15, para o líder da nova comissão no sentido de se abrir um processo crime urgente no piquete de investigação criminal do SIC sito dentro das instalações do Porto de Luanda.

 

"Se a nova comissão sindical não fizer nada depois desse abaixo assinado, vamos deixar de ser  filiados e, por termos sofrido muitos descontos durante anos no salário para conta do sindicato, nós mesmo vamos abrir o processo crime , visto que temos todos os títulos de salário que provam por a+b os descontos que foram feitos na nossa conta para conta da comissão sindical domiciliada no Banco Sol. E só vamos voltar a nos filiar na comissão sindical depois de um esclarecimento sobre foi o destino das verbas", disse.


A antiga comissão sindical liderada por Manuel António e Nascimento é citada no seio dos trabalhadores como não ter feito nada durante os dois mandatos e que era refém do conselho de Administração.


"A comissão do Manuel António era refém do conselho de administração, nunca conseguiu afrontar a administração como faz esta recém eleita comissão que em pouco tempo já resolveu muitos problemas", afirma.


A fonte conta que a nova comissão tem todos seus membros considerados revús pela empresa, a começar pelo seu líder Ricardo Amaral e os demais membros.


"Por serem muito frontal, se aproveitaram do erro do ex-secretario da nova comissão sindical, Cidalino Lopes, acusado de entrar na empresa com certificado com certificado falso, quando se sabe que a empresa tem mais casos do gênero, incluindo de chefes de direção, que vamos contactar o Club K para publicar de novo em breve. Pois as pessoas já estão identificados", disse.

 

Segundo a fonte, Cidalino Lopes terá sido vítima da administração em conluio com a antiga comissão sindical liderada por Manuel António.

CIDALINO FOI DESPEDIDO ILEGALMENTE

Pelo que apuramos, na sequência do suposto diploma falso do ex secretário para a área jurídica do Porto de Luanda, Cidalino Lopes, a empresa accionou o piquete do SIC localizado dentro do Porto de Luanda e detiveram o Cidalino Lopes, conforme o Club-K noticiou aqui.


"Aquilo não se tratou só de diploma falso mas também de represálias, uma vez que Cidalino era  muito frontal e fez frente à administração", conta a fonte.

 

Depois da detenção Cidalino foi despedido ilegalmente da empresa e está solto sob termo de identidade e residência e tem ido ao porto de Luanda assinar o mandado de soltura periodicamente.

 

"O desprendimento dele é ilegal visto que o contrato de trabalho é celebrado entre o trabalhador e administração na pessoa do PCA. Logo quem assina o contrato de trabalho é quem deve assinar o documento de despedimento ou rescisão de trabalho. Mas o documento de despedimento foi assinado pela directora em exercício ( e não efectiva) dos recursos humanos, a senhora Aurora dos Santos. Isso é ilegal, a directora de recursos humanos em exercício do Porto de Luanda Aurora dos Santos têm NÃO competência para despedir quem quer que seja, a competência é do PCA. Nem mesmo o administrador do recurso humanos José Mário Silva que trouxe na empresa mais de oito familiares dele tem competência para despedir alguém. Isso cabe ao PCA, Mas a senhora Aurora dos Santos foi usada como bode expiatório para assinar o documento de despedimento de Cidalino Lopes e na sua ingenuidade ela assinou, mesmo sendo jurista de formação", afirma.

 

Tentamos contactar António Manuel antigo líder da comissão sindical do Porto, que vai responder a um processo crime em breve para ouvir a versão dele sobre esta denúncia, mas tivemos resposta de que o mesmo está a gozar férias. Para além de ser acusado de crime de ter zerado a conta da comissão sindical da empresa, Manuel António também é acusado de nepotismo, dado que tem um filho colocado na Direção técnica da empresa desde 2017.

Tema relacionado 

Administrador do Porto de Luanda acusado de empregar familiares

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: