Luanda - Depois de um demorado e aturado processo de Requalificação de categorias , resultado das constantes revoltas dos profissionais da classe que chegou ao Presidente da República que por sua vez e atendendo a sua grande preocupação e interesse em não ficar alheio as realidades (muitas que só mesmo com ele JLOU) ficou-se a saber quem na realidade é JES, que tipos de máscaras (mais que muitas) usava esse homem que hoje merece um estudo Psiquiátrico dada a dimensão do desrespeito à Nação.

Fonte: Club-k.net

“JORNALISTAS DAS PÚBLICAS CONTINUAM PEDINTES”

Decorreram aturadas discussões, até que o Sindicato dos Jornalistas em data anunciada apresentou os Cadernos Reivindicativos dos núcleos da TPA e RNA. Foi satisfatório o imediatismo e transparência do PCA Marcos Lôpes da RNA dizer que ao tomar conhecimento da realidade concreta, uma vez que ele vem de fora e confiou grandes responsabilidades à Administradora para conteúdos e informação, Paula Simons, a mesma, filha de Francisco Simones (Que afinal não sai nada o pai) na qualidade de PCA, daria prioridade e apoio a todas reclamações legais do caderno. O que saltou a vista aos profissionais da RNA que quem não está nem aí para os seus colaboradores, é mesmo ela, só.

 

Um processo que arrancou em simultâneo com a TPA e que depois de muito Blá,Blá,Blá, criou-se uma nova tabela salarial para os Jornalistas dessas duas públicas, cuja TPA estabeleceu três níveis : 1, 2 e 3 para as distintas profissões sem especificações excepcionais com salários variados de acordo com a categoria, nível por tempo de trabalho e habilitações literárias.

VERDADE OU MENTIRA?

Mentira, é o que a prática demonstra. Teriam as respectivas públicas, adiado o começo da aplicação da nova escala salarial que segundo o Ministério das Finanças já disponibilizaria porque segundo os Marimbondos (antes embarrados, agora desmascarados) era necessário, por Concurso Público, recorrer aos serviços de uma empresa idónea no nosso mercado. Assim o fizeram e contrataram cada delas, RNA, TPA uma ou a mesma empresa. Ou mesmo que da mesma não se trate mas em cada Orgão esteve uma dessas empresas a prestar o tal trabalho de requalificação que a TPA não estava a altura. Atenção… não estava a altura. Obedecendo os critérios os funcionários atenderam às exigências da tal empresa para concluir o trabalho e apresentar o Relatório final a TPA, no qual a TPA se basearia para a execução daquilo que seria a Orientação Superior do Governo Central. Percebam… não é iniciativa da TPA, porque esta peca por defeito e pode levar uma grande pastilha pela Inspeção do Estado, por ter parado com o Processo de Requalificação e Promoção dos trabalhadores de três em três anos (como todas outras empresas públicas até hoje fazem sem recorrer a terceiros “Truque de desestabilização”) desde que o Sr Manuel Rabelais ascendeu a Ministro da Comunicação Social e optou simples e desrespeitosamente pelo os Esquemas de Influencia, Nepotismo e Amiguismos, a prova está no Canal 2 do Cúreon Du e Tchizé dos Santos que ultrapassava a TPA 1-Publica em meios, qualidade de imagem e áudio, Condições de trabalho e Salários Obesos pagos à Estrangeiros, com os dinheiros público pertencentes a TPA 1.

 

Tal processo com a dita empresa retardou mais ainda a aplicação da nova tabela salarial nos salários mensais. Mas chegou o dia “D” e decorreu tudo nos segredos dos Deuses, sem transparência. Graças ao Zua sindicalista da TPA que nas reuniões com os espertalhões: Director Geral do Canal, os mafiosos, Director do Gabinete Jurídico e a Ex Secretária do Helder Barber (tempo das facilidades e trocas de favores), a Guineense, agora Diretora dos Recursos Humanos que se diga de boca cheia, NÃO ENTENDE PATAVINA DE RECURSOS HUMANOS e anda pra lá, orientada pelo baixote (que quer desacreditar o novo PCA), a desestabilizar tudo. Assim (entre parenteses) e Recado ao PCA, a TPA tem um excelente quadro em Gestão de Empresas e Recursos Humanos bem formado em Londres que foi afastado para o Kamama pelo anterior Director dos R.H, o Sr Estevão porque reconheceu incompetência absoluta diante do jovem Stelvio. O Jovem estava a reestruturar os R.H da TPA sob Direcção do Diretor Manuel (não é o da Silva).

MARIMBONDOS MAQUIAVÉLICOS TENDENCIOSOS

O sindicalista Zua, homem de Convicções próprias que não admite imposições nem jogos de interesses de grupos desestabilizadores em prejuízo da maioria, participou e aturadamente testemunhou a conclusão de um resultado que seria satisfatório mas que nos últimos dias que antecederam o inicio da aplicação dos resultados da tal empresa Requalificadora, Directores da TPA reuniram excluindo o Sindicalista Zua e os resultados revelaram fraudes claras provenientes de cabeças ocas de pessoas sem o mínimo de preparação.

 

Vamos publicar a tabela salarial afixada nas vitrines da TPA e cada de vocês vai fazer uma avaliação lógica e perceberão que a TPA actual , é gerida por desequilibrados mentais, gente apressada em desviar remanescentes para enriquecerem ilegalmente e prejudicar pessoas que ajudaram a edificar aquela casa, 30, 35 anos atrás, sem muitos desses psicopatas paraquedistas.

 

Reparem: Técnicos Superiores, mais de 25 anos de casa, foram colocados no nível 1, com salários fora do que lhes é devido. Portanto, com o salário básico de iniciados. Tal como 1+1=2, e a lei laboral angolana estabelece 35 anos de trabalho, faz sentido um individuo com 25 anos de casa pertencer ao nível 1? Que nome vamos atribuir a estes Directores? Há aí tendência nítida.

 

Isto criou um descontentamento tal que o PCA interveio e em comunicado pediu a reposição da legalidade autorizando os lesados (95% do total de trabalhadores) que reclamassem por escrito. Assim foi feito e com o acompanhamento do sindicalista Zua. Obrigado PCA.

 

Mas a situação repete-se, não como no mês de Junho mas a mesma tendência e atitudes, com outro disfarce.

CADÊ, O MINISTRO, A INSPEÇÃO GERAL DO TRABALHO, O EFECTIVO DO P.R, OS DEPUTADOS DO MPLA E O GENERAL MIALA?

Porque o que ainda preocupa aos trabalhadores da TPA, não é que se ande no jogo de empurrões com rivalidades no meio, abrindo-se cicatrizes, porque as mesmas pessoas que maltrataram no regime JES, são as que estão a tentar impor também agora, a ditadura disfarçada do passado. Eles estão num começo opaco ainda para a maioria e com isso querem afastar da empresa a ferro e fogo os que já percebem a satisfação desses tipos em destruírem os outros mesmo numa empresa pública onde todos temos os mesmos direitos por sermos todos contribuintes do estado com impostos. Os mais antigos mais contribuintes (há mais tempo) que os novos.


Falando agora por palavras certas e claras, o processo foi uma fraude, a prova disso está na espécie de correção que fizeram para tapar o Sol com a peneira, aos ainda ignorantes e que se submetem a vontades alheias, fazem o jogo do Bajú, tornando-se pedinte para que se lhe acrescente mais uns tostões que nem cobrem o que lhe cabe por direito e ainda assim prejudicam os merecedores por direito.


Mas se por não ser capaz, a TPA contratou tal empresa competente, uma vez que os resultados foram trágicos, o que se tem a fazer, é processar a empresa que criou todo esse embaraço aos lesados, representados pela TPA. Um processo acompanhado pelo sindicalista Zua cujo resultados devem ser apresentados aos trabalhadores da TPA em comunicado como prova de inocência da comissão mafiosa da TPA. Porque se das negociações criou-se as qualificações com respectiva tabela salarial, ao não se cumprir e dessa maneira, é sem margem para duvidas erro de palmatória. E então? Estão a lidar com quem?


Sr Ministro, onde está a defesa pelos diretos da classe? Inspeção Geral do Trabalho, como é que fica o desrespeito as orientações do executivo? Sr Presidente da República, o Sr não exigir o cumprimento das suas promessas? Srs Deputados do MPLA, serão vocês só Demagogos? General Miala, é assim e pronto? Juntem-se e vão fazer uma auditoria a TPA. Mas conversem com os responsáveis da empresa neste processo na presença do Sindicalista Zua e os trabalhadores. Assim saberão de podres que exigem a Demissão imediata desses Marimbondos e só assim será aplicada a nova tabela salarial segundo ao estabelecido e os Jornalistas deixarão de ser pedintes à indivíduos mesmo desde as Direções da TPA sem o mínimo de intelectualidade. A classe apela que se estabeleçam as coisas já antes das “Autarquias” porque por cima do joelho vai ser tarde como sinónimo de não respeito e não valorização dos Jornalistas, também agora como no regime JES. Chega de promessas falsas.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: