Luanda - Um português de 46 anos foi morto a tiro na cidade angolana do Huambo por um trabalhador da obra onde a vítima estava colocada, disse hoje à Agência Lusa fonte diplomática.


Fonte: Lusa


O cônsul-geral de Portugal em Benguela, Alexandre Leitão, que tem a seu cargo a província do Huambo, no Planalto Central de Angola, explicou à Lusa que a descrição dos acontecimentos da polícia angolana indicam que o cidadão português foi morto à queima-roupa por um funcionário da mesma empresa, a construtora Angolaca.

 

Ainda segundo a mesma fonte, o cidadão português, cerca das 09:00 de segunda-feira, terá repreendido um seu subalterno angolano por este ter chegado atrasado ao trabalho, o que levou a uma troca de palavras mais acesa.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: