Benguela - Activistas do auto-denominado Movimento Revolucionário vão mover uma acção criminal contra o governador provincial de Benguela, Rui Falcão Pinto de Andrade, devido a indícios de difamação e calúnia na análise sobre as causas das manifestações que promovem.

*João Marcos
Fonte: VOA

Há duas semanas, num encontro com a embaixadora dos Estados Unidos em Angola, Nina Maria Fite, o governante disse que os jovens manifestantes estavam a ser pagos por empresários que viram os negócios frustrados no quadro do combate à corrupção.

As palavras de Rui Falcão, proferidas horas depois de ter autorizado a segunda manifestação, são encaradas como uma ofensa à honra de jovens que contestam o desemprego, a fome e outros males.


‘’Porquanto a sua honra e o seu bom-nome ficaram manchados. Há indícios e por isso vão processar, brevemente, o senhor governador, que goza de fórum especial, pelo que o processo vai ser remetido na Procuradoria-geral da República, que vai tratar da tramitação própria’’,disse o advogado da acusação, Chipilika Eduardo, nesta segunda-feira, 2, ao anunciar a acção.

 

O activista Livulu Prata olha para a luta do seu movimento e diz que não faz sentido a tese de aliciamento

 

‘’Vai ter que provar onde e quem nos deu dinheiro. Se estiver a combater a corrupção, como pede o senhor Presidente, está a fazer bem, mas o pobre não está a ver nada. Não precisamos do dinheiro da corrupção, nem para manifestações, nem para nada’’, sublinha o activista.

 

Depois do encontro marcado pela referência a empresários frustrados, num dia em que a embaixadora americana conversou também com os manifestantes, o governador reafirma estar pronto para enfrentar os reflexos do que associa ao combate à corrupção.

 

‘’Vamos continuar, é a força do nosso partido, não será por causa de ‘meia dúzia de gatos-pingados’ que ofendem as pessoas nas redes sociais …’’, prometeu Galvão, na altura.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: