Luanda - Infelizmente viemos por meio deste denunciar mais um caso, onde envolve operadores do sistema judicial angolano, que visam a todo custo prejudicar a empresa Riusol.  Nada haver com os negócios do Juiz do Supremo Dr Rui Ferreira com a rede  libanesa de financiamento ao terrorismo do Hezbolah, mas sim  a denuncia a volta do  advogado Dr João André Pedro, que infelizmente nos processos faz um papel de jogador, árbitro e treinador.

Fonte: Club-k.net

O exercício da nobre profissão de advogado, tal como dos juízes, também tem as suas limitações, de maneira que não é possível, que o Dr João André Pedro seja membro do Conselho Superior da Magistratura, e ao mesmo tempo exerce advocacia sendo totalmente ilegal e incompatível ao nosso sistema judicial e ao próprio estatuto da ordem dos advogados, influenciando diretamente nos processos em que está inserido não só como advogado mas como membro do Conselho Superior da Magistratura, intimidando ou  aliciando juízes dos casos em que está envolvido, e se fazendo valer dessa posição, o que constitui  um ataque direto a transparecia do nosso sistema judicial.

 

 A sua influência sobre os juízes é tão grande que ele convenceu o Dr Osvaldo Malanga, juiz de Direito da sala civil administrativa da primeira secção, a tirar peças da providência que tramitou  nesta mesma secção para abertura de  um processo crime contra o dono da Riusol, alegando que neste processo consta um estrato bancário falso. Isto prova que o juiz sempre teve parcialidade neste processo, onde o mesmo Advogado adulterou ou seja falsificou a sua sentença sobre está providência alterando os dizeres da mesma com o propósito de baralhar outros juizes e procuradores do processo crime. Mesmo sabendo disso, o Dr Osvaldo Malanga nunca fez nada, muito pelo contrário preferiu abrir um processo crime contra o dono da Riusol.

 

Isto é um sintoma bastante sério e óbvio de corrupção, uma vez que o tal estrato bancário que foi o alicerce para que o meritíssimo julga-se improcedente a providência da Riusol, foi fruto de um  erro bancário que é normal acontecer. O   próprio banco assumiu isso diante de documentos que chegaram ao meritíssimo  enquanto o processo ainda decorria , mas o mesmo não considerou e nem sequer pronunciou-se sobre este assunto. O juiz Dr Osvaldo Malanga, foi além, escrevendo varias inverdades sobre o Dono da Empresa Riusol, fruto dos vários encontros que teve com o Dr João André Pedro e o Sr Garcia Chiteculo, funcionário do Tribunal Supremo, tio do co-arguido Miguel Francisco Ribeiro , durante o decorrer deste processo.


É extremamente urgente que se tome uma posição diante de tantas violações ao nosso sistema judicial. A Ordem dos Advogados de Angola que abra uma sindicância sobre este advogado, que mancha uma profissão nobre e arrasta consigo todos os outros advogados que nada têm a ver com isso. Quanto ao Dr Osvaldo Malanga que lhe seja feito o mesmo. O   país não precisa de juizes  que cometem  injustiça atrás de injustiças, tal como fez no caso Calupeteca, em que que condenou piamente o Sr José Julino Kalupeteka sem provas nenhuma.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: