Luanda -   Jogadores do Kabuscorp do Palanca procuram recuperar o fôlego enquanto os dirigentes discutem presença na liguilha

 

Fonte: JA 

 

O Kabuscorp do Palanca completou ontem o trio de equipas do Girabola habilitadas a disputar a liguilha, depois do 1º de Maio de Benguela e Académica do Lobito, ao perder em casa frente ao Recreativo do Libolo, por 0-1, no encerramento do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão.

 

Com o título decidido a favor do Petro de Luanda, na jornada anterior, o interesse da ronda que marcou a despedida do Girabola ficou abruptamente reduzido à fuga da disputa da liguilha, por força da redução do continente angolano nas Afrotaças de quatro para duas equipas.

 

No último esforço para assegurar a permanência no escalão principal, sem recurso ao prolongamento da temporada, através do mini-campeonato a ser disputado entre os despromovidos do Girabola e os segundos classificados da Segundona, para apurar duas equipas, os homens do Palanca soçobraram ante à melhor disposição competitiva do conjunto do Kwanza-Sul, que festeja a conquista do título de vice-campeão.

 

Por razões diferentes das do 1º de Maio, cuja direcção interina reivindica o direito de permanecer no Girabola, pelo facto de ter feito parte da prova fora de casa, por força dos preparativos da Taça de África das Nações Orange-Angola-2010, os responsáveis do Kabuscorp ponderam não disputar a liguilha, pelo facto de ter sido anunciada com a época a decorrer.
No adeus ao Joaquim Morais, seu reduto emprestado na cidade do Namibe, o Desportivo da Huíla impediu o Benfica de Luanda de festejar o segundo lugar. Os militares da Frente Sul venceram por 1-0 e beneficiaram do deslize do Kabuscorp para assegurar a permanência.

 

Conformados com a prestação assinada à entrada da jornada, ASA e Recreativo da Caála pisaram o relvado da Cidadela com uma espécie de pacto de não agressão, isto a julgar pelo desinteresse competitivo evidenciado pelos seus jogadores. A igualdade sem golos foi um prémio justo para os contendores, que se limitaram a cumprir calendário.

 

O FC Bravos do Maquis empatou no Estádio Mundunduleno com o Petro de Luanda, a uma bola, resultado repetido na partida disputada no 22 de Junho, entre o Interclube e o Santos FC, ao passo que no baile dos despromovidos, a Académica do Lobito derrotou no Municipal de Benguela, o 1º de Maio, por 1-0.


A 26ª jornada foi a menos produtiva, com apenas 10 golos, quando no total o Girabola registou, em 182 partidas disputadas, 447 golos, média de 2,4 por jogo.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: