Lisboa – O antigo director geral do “Jornal de Angola”, António José Ribeiro, foi recentemente nomeado para ocupar o cargo de conselheiro de imprensa junto a embaixada de Angola na Rússia, país que têm relações privilegiadas com Angola, desde 8 de Outubro de 1976, data em que foi assinado, em Moscovo, na altura capital da antiga URSS, o Tratado de Amizade e Cooperação.

Fonte: Club-k.net

José Ribeiro que no passado já exerceu as mesmas funções na Europa, teve no ano passado uma proposta para voltar para diplomacia, tendo o próprio escolhido a Suíça, onde trabalhou no passado. A sua nomeação foi acompanhada por recuos devido a um processo que tinha no Tribunal de Contas de Angola pelo descaminho de 25 milhões de dólares da “Edições Novembro”, empresa que detém os principais títulos estatais.

 

Na governação anterior, Ribeiro destacava-se pela exaltação a figura de José Eduardo dos Santos para quem reclamava a atribuição de um prémio 'Nobel da Paz' para o antigo chefe de Estado.

 

Ribeiro que se tinha mudado para Portugal onde tem a família, está agora em Luanda a comparecer como testemunha no julgamento do antigo patrão da inteligência militar, o general José Maria, uma vez que este oficial usava as páginas do Jornal de Angola para publicar as suas pesquisas sobre a Batalha do Cuito Cuanavale e assinava com o nome de José Ribeiro.

 

Na fase inicial das publicações desta pesquisas, os textos saíam assinados como se fossem de Artur Queiroz, porém, depois do afastamento deste jornalista português do “Jornal de Angola”, o general Zé Maria passou a usar o nome de José Ribeiro, como assinante das suas pesquisas militares.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: