Luanda - A precipitação da apresentadora Ana Lemos, no Telejornal de quarta-feira, dia 21, privou os telespectadores de uma parte substancial da importante explicação que o psicólogo e sociólogo Laurindo Vieira vinha dando sobre o arrepiante número de suicídios que ocorrem na província da Lunda Sul.


Fonte: Semanario Angolense


Enquanto o especialista falava do excessivo consumo de bebida alcoólicas, de amores mal resolvidos ou de abandono familiar como algumas das causas possíveis para o elevado número de suicídios naquela província, a apresentadora do Telejornal foi uma senhora bem comportada: ouviu atentamente as explicações.


Porém, mal o especialista começou a falar das causas sociais que também podem estar por detrás de tais suicídios, nomeadamente o desemprego, a falta de equipamentos socais (escolas, hospitais e outros) à altura das expectativas dos cidadãos, Ana Lemos interrompeu-o bruscamente, fazendo uma pergunta que lhe desviou completamente o raciocínio.


Dir-se-ia que a avisada jornalista pressentiu que as explicações poderiam «descarrilar» para zonas incómodas ao Governo. Na verdade, a falta de equipamentos sociais deve mesm o ser imputada ao Governo.


Mas a apresentadora do Telejornal fez mal, muito mal ao interromper o raciocínio do psicólogo e sociólogo Laurindo Vieira.


Com toda a certeza, é também do interesse do próprio Governo saber por que razão adolescentes, jovens e velhos se matam com tanta frequência na Lunda Sul. Só conhecendo as causas ele pode trabalhar para elimina-las.
Isso é elementar, cara Nany.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: