Luanda - A UNITA, maior partido da oposição em Angola, sugeriu ao Governo a inclusão no Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2020 de verbas destinadas a projectos que solucionem o problema da seca que afecta as províncias do Cunene, Cuando Cubango, Huíla e Namibe.

Fonte: Angop

A sugestão foi feita nesta terça-feira pelo presidente do grupo parlamentar da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, durante uma conferência de imprensa, em Luanda, que serviu de balanço das VIII jornadas parlamentares daquele partido, realizadas de 9 a 14 nas províncias da Huíla e Cunene.


Afirmou que a fome e a seca estão a “matar muita gente mais do que se pensa”, incluindo o gado que é a maior riqueza da população local.


Essa situação, sublinhou Adalberto da Costa Júnior, faz com que a UNITA recomende que o Governo declarar o “Estado de Emergência Social”.


Apelou para a necessidade de melhoria das vias de acesso, sobretudo, no Cunene, o que agrava o quadro e dificulta que as ajudas cheguem rapidamente à região.


Os últimos dados do Governo Provincial do Cunene (GPC) indicam a existência de 299 mil e 623 pessoas a sofrerem de fome e sede na Cahama (municipalidade mais afectada), 65.526 no Cuanhama, 53.677 no Curoca, 38.432 no Cuvelai, 114.991 em Namacunde e 285.194 na Ombadja.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: