Lisboa – O Serviço de Investigação Criminal (SIC) convocou na manha desta quinta-feira, 26, o activista e membro dos “15 + 2”, Hitler Jessy Tshikonde para saber do mesmo a sua disponibilidade para pedir desculpas ao Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, por causa de um vídeo, do visado, na qual as autoridades classificam como critico a figura do Chefe de Estado.

Fonte: Club-k.net

Na primeira semana de Maio, Hitler Jessy Tshikonde gravou um vídeo que se tornou viral nas redes sociais em que critica o Presidente João Lourenço pela detenção e condenação de quatro activistas fazendo uma advertência - ao Chefe de Estado - para o perigo de voltar a "atacar as tropas que estão tranquilas".


Ao tomarem contacto do vídeo, alguns agentes do Serviço de Investigação Criminal (SIC) decidiram raptar Hitler Tshikonde e sua mãe no dia 10.05.2019 levando-os inicialmente em parte incerta. Na sequencia de pressão popular, a senhora foi devolvida a liberdade mas quanto a Hitler, foi-lhe aberto uma acusação de crime de "ultraje ao Presidente da República". O mesmo seria posto em liberdade três dias depois, após ser ouvido na Direção Nacional de Investigação e Ação Penal (DNIAP), sita no bairro Vila Alice, Luanda.


A DNIAP reencaminhou o processo para o SIC-Serviço de Investigação Criminal, e nesta quinta-feira esta instituição convocou-lhe para ser novamente ouvido. Durante a sessão de interrogatório que foi breve, o instrutor do SIC, Luís Tavares pretendia saber se o ativista iria pedir desculpas ao Chefe de Estado ao que Hitler Jessy Tshikonde respondeu que nada tinha a declarar. O interrogatório terminado aguardando-se pelo desfecho.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: