Lisboa – O Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço não atendeu por duas vezes consecutivas, chamadas telefônicas do seu antecessor José Eduardo dos Santos quando iniciaram os problemas relacionados ao alegados documentos da secreta militar que o reformado general Antônio José Maria havia guardado na sede da FESA.

Fonte: Club-k.net

 Secretario da FESA revela no julgamento de Zé Maria 

A revelação foi feita nesta quinta-feira em tribunal por Manuel Paulo da Cunha “Nito Cunha”, secretario de José Eduardo dos Santos na FESA. “Nito Cunha”, ao depor como testemunha no chamado “caso Zé Maria”, revelou que Eduardo dos Santos desconhecia da existência de tais documentos militares na sua fundação e só ficou a saber depois de assistir uma exposição de mapas militares na instituição por ele liderada.

 

Na ocasião, segundo contou “Nito Cunha”, em tribunal, o ex-Chefe de Estado manifestou-se surpreendido pela existência de tantos documentos e ainda contribuiu oferecendo a Zé Maria algum material do seu acervo pessoal mantido em casa.

 

Quando soube que haviam divergências sobre o paradeiro dos documentos que o novo governo reclama ter de volta por pertencerem ao Serviço de Inteligência e Segurança Militar (SISM), e que foram retirados sem autorização, o antigo Presidente persuadiu o general José Maria a proceder a sua devolução.

 

Ao mesmo tempo, JES telefonou por duas vezes ao Presidente João Lourenço para comunicar que a documentação sobre a Batalha do Cuito Cuanavale estava disponível para ser entregue, pelo que não haveria necessidade de realizar buscar na sede da FESA. 

 

As duas chamadas telefônicas feitas por JES não foram atendidas. O declarante Manuel Paulo “Nito Cunha”, disse justificou que Lourenço deveria ter estado ausente do país em missão de serviço por isso não atendeu as chamadas e JES ficou aguardando por um eventual retorno, o que não aconteceu.

Tema relacionado 

Jaime Azulay: “A transição de JES para JLo está longe de ser exemplar”

Analistas abordam relação entre o anterior e o actual presidente de Angola

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: