Luanda - Desde a criação do governo de transição até hoje, que José Eduardo dos Santos está sentado na bancada presidencial há mais de 10 980 dias conheçeu-se grandes homens ou líderes políticos com diferentes capacidades e características. Muitos desapareceram com a revolução porque foram actores ou vítimas do fracionismo. Uns foram envenenados silenciosamente e outros sucumbiram porque souberam combater o inimigo humano enquanto não conseguiram defender-se contra doenças ou confrontaçães mistériosas da batucada política.


Fonte: http://kinzinzi.blogspot.com

Que a sua luz não se apague antes
que divulgue os segredos da nossa história
 

Image Alguns vão desaparecendo enquanto novos surgimentos são anunciados tanto no partido em poder como nas fileiras da oposição. O angolano vai descubrindo novos nomes, alguns até foram diabolizados mas são hoje herois. Há também certos herois de ontém, que ainda são dispostos, provando debilidades que não conjuguem com sucesso da antiga propaganda. Outros não tiveram resistências e foram empurrados fora da profissão e são caducados, ou não simpatizaram com o líder principal do seu partido ou tentaram duma forma denunciar alguns segredos do cambalacho partidário. Há aqueles que foram ultrapassados pelo tempo, esquecidos pela história mas o favorismo cobre muitos. Nesta barralha de grandes e pequenos líderes angolanos, de homens famosos e influentes depara-se com a figura do Honorário Mendes de carvalho.


Antes de tudo, foi pela curiosidade que descubri este senhor uma vez a história de Angola relata uma passagem de um corajoso jovem conhecido por Hoji Ya Henda. Mendes de Carvalho que é mano-velho do comandante Henda é muito conetado devido esta passagem histórica deste jovem. Talvez hoje Hoji é o único heroi angolano do MPLA (como todos herois angolanos são do MPLA) cujo a história relatada parece verdadeira pois muitas provem hoje ser simples fábulas, lendas até ficções. Infelizmente nesta Angola que se pretende democrática já não se valorize a nossa história e ninguém se preocupa para investigar as verdades dos acontecimentos do passado angolano. Nos fomos bombardeados com Ngangulas, Deolindas, Lénine, Ho Chimin, Bros Tito, Castro e outros mas a criança de hoje ném de Neto houve!!! Mendes não combateu militariamente ao lado de Hoji, nunca pensou relatar doutra forma a passagem terrestre do irmão mas também não está satisfeito como o menor caiu no esquecimento neste tempo que Angola pertence aos alheios.

 

Mendes é uma figura pública angolana que tive a oportunidade de encontrar umas poucas vezes. A sua popularidade conheceu o apogeu quando pela direcção do partido único da República Popular de Angola foi nomeado Comissário Provincial de Luanda. Bem, como de hábito no sistema, Mendes trabalhou como outros fazendo nada além de assinar papeladas para efeitos inúteis. Embora isto o Comissário somou mais pontos em relação a qualquer outro comunista da política angolana. Quém na altura não ficasse colado à rádio para seguir os famosos comícios de Mendes tivera lamentações inacabáveis. Ouvir de Carvalho no seus discursos em Kazenga, Golfo, Porto ou qualquer outra parte de Luanda era comparativamente doce tanto aos discursos de Sô Perfeito com as turvadas de Zeca diabo e de toda camaradagem do Bem-Amado. Mendes usando a sua linguagem popular e familiar, descrevendo as realidades, as injustiças em prática botava pedras a quém for, desde que cometa infrações. Comentava-se mesmo nos matutino de Ngola Kiluanje, Nzinga Mbandi e outras grandes escolas de Luanda que o Comissário não tinha medo de ninguém e que era intouchable devido o preço pago pelo sangue do irmão (como se fosse pequeno cristo angolano). Assim as peças do xadres foram movidos e o carismático Mendes viu-se injustamente atribuido a alta função na Saúde, como armadilha.

Conheci o Mendes de Carvalho como grande escritor angolano. Quém leu uma vez a narração do mbuko de Gulungo alto pode explicar como Uanienga Xitu tamodou-lhe com sucessivos e incessantes gargalhadas. Havia grandes escritores angolanos melhores que Mendes mas ele tem uma particularidade que outros não tem tido. Nas suas letras Uanienga prova possuir bom conhecimento da cultura bantu e domina perfeitamente a comedia angolana. Ele nunca foi frustrado e nunca sofreu tanto complexo como outros membros do MPLA. Nunca conheceu a intimidação da diáspora política da primeira hora. Por isso Mendes de Carvalho, o nacionalista quando uma vez apresentado ao músico brasileiro, Chico Buarte da Holanda não teve hesitações de dar-lhe um forte candando dizendo: Sou o Mendes de Carvalho de Catete! (ficção!?). O filantrópico Mendes escreveu altas obras que identificam melhor o homem angolano, enterrado pelo complexo político dos assimilados do Movimento dos camaradas. Ele foi entre os primeiros escritores cujo os livros foram traduzidos em inglês. O Patriótico Mendes não é primitivo como pode se pensar ou deduzir devido o seu habitual chapeu.

Na Saúde também o Excelente ministro seguiu a linha padrã traçada pelo partido. Infelizmente conheceu nesta posição grandes complicações e confrontações com diretores e delegados e a sua passagem foi caótica. Ainda me lembro quando numa reunião, o nosso ministro de saúde rejeita a existência da SIDA em Angola e desafia com toda a teimosidade a teoria do macaco africano sendo na origem e propagação da SIDA. Da saúde Mendes arruma a bagagem para ser Embaixador. Escreveu uma obra sobre ministros...Foi um dos poucos comunistas do MPLA que não concordou com a lei da nacionalidade na época da vitória é certa.

 

O Ilustre Embaixador de Angola na antiga República Democrática Alemã, desempenhou um bom trabalho uma vez que a amizade entre dois países comunistas era sempre bofiática. Mendes conheceu momentos difíceis com estudantes angolanos na Polonia e com alguns trabalhadores angolanos na Checo. Uma vez recambiou-se um estudante da Polonia para Angola, que 5 dias depois reapareceu reclamando o seu subsíduo no gabinete do Embaixador, que subitamente berrou: Naquele Aeroporto (4 de fevereiro) o Savimbi entra e sai livremente.


Mendes de Carvalho que hoje é entre os deputados mais idosos, é a esperança da juventude. Na sua carreira política mereceu sempre o respeito do angolano. Tem uma consciência que o diferencie dos outros políticos. Pela idade e experiência sabe-se na verdade que Mendes detenha ainda muitos segredos de Angola; tanto históricos, culturais e políticos. Num ditado africano diz-se: quando morre um velho é um dicionário que se queima. Foi ao Mendes que Neto revelou a sua herança de 200kzs na última hora da vida. Ele tem a chave do mistério (o porquê e como) do envio de Agostinho Neto à URSS para um tratamento final.


Mendes sabe melhor sobre o titulado do tão disputado 4 de fevereiro (inicio da luta armada). Só o Mendes pode esclarecer a diferença climática e periódica entre a fundação do MPLA e FNLA. Mendes nunca se confude da verdade e sabe como na sua idade e posição a mentira profetizada pode roubar-lhe honras. Espera-se ao Mendes, já que é o único ou talvez o último político, que melhor e correctamente pode contar a pura história de Angola sem que seja desfigurada como a memória do R. Holden. Ele o único deputado que melhor observa o funcionamento do parlamento angolano. Ele conhece melhor as rugas, camuflagens, piruetas e armadilhas da nossa política embora nunca fez parte do Bureau Político. Talvez seja também o único deputado respeitado pelos políticos de outros partidos e tendências. Mendes tem a coragem de desafiar qualquer dirigente sem receio quando necessário fôr. Ele é um leão que não recua perante obstáculos, qualidade raríssima da distinção de Hoji. Mendes também é único que pode razóavelmente explicar a sua derrivação familiar do Uige, no tempo e espaço!.


A verdade é que o tempo já não está à favor do Kota Mendes, prepare então uma herança ao povo angolano. Mendes é a última carroagem do último comboio da história angolana. Que a sua luz não se apague antes que divulgue os puros segredos da nossa história revolucionária.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: