Luanda - Há um ano atrás o Presidente João Lourenço gastava cerca de 64 mil euros por hora num super avião de luxo: João Lourenço para a sua viagem à Espanha escolheu um avião que custa cerca de 320 milhões de dólares. Todavia, neste mesmo ano afirmou na imprensa portuguesa que deixaram – lo os cofres vazios, de que está a tocar no enxame dos marimbondos e que já está a sentir as picadas dos marimbondos. Dois anos depois de ter esbanjado tanto dinheiro dos cofres do Estado em viagens e hotéis de luxo no Ocidente e pelo mundo fora, a condição do angolano tornou – se completamente miserável.

Fonte: Club-k.net

Todavia, o valor de uso da filosofia lourencista que se refere na capacidade de todas as suas políticas e filosofias servirem à subsistência do homem angolano, encontra – se em desuso, ou seja, as políticas lourencistas não respondem ao quesito que desmorona os interesses do povo angolano. Com a chegada de João Lourenço ao poder, a vida do povo angolano foi de mal à pior, tudo agravou – se ao não mais poder ser, não se pode pensar que João Lourenço irá melhorar a condição de vida do povo angolano. Angola chega a enfrentar mais dificuldades económico – sociais que inviabilizam qualquer processo de desenvolver com João Lourenço como líder, que com José Eduardo dos Santos, no passado, José Eduardo dos Santos era bastante inteligente, e tinha formas de contornar o impossível. Porém, Lourenço hoje um insucesso da política nacional. Angola se constituí hoje numa região do mundo com sérios problemas sociais por se resolver. Contudo, o tempo passa e não espera por ninguém, sabe – se à tinta da caneta que as políticas de João Lourenço não resolvem, e não resolverão os problemas sociais do povo angolano, quem ainda não percebeu é assaz negligente e ignorante.

 

Enquanto crianças aprendemos que Angola é um País bastante rico e belo. No tempo do colono, ou no tempo dos nossos bisavós ou avós, muitos afirmaram ter vivido em um país colonizado pelo português mas que tinha alguma qualidade de vida para cada cidadão, os escudos tinham algum valor monetário. Os nossos pais cresceram a ouvir a história de que vivem num país em via de desenvolvimento ou do terceiro mundo, é o mesmo facto que marca a nossa trajectória neste País, muitos de nós anseiam que os nossos filhos, netos e bisnetos, não possam ouvir que vivem num país do terceiro mundo, porque na escola são ensinados que o País que vivem é rico e belo.

 

Hoje com João Lourenço como presidente nota – se:

 

1. Mais de 60% do povo angolano está completamente descontente com a actual governação. Mais de 86% do povo não tem esperança pelo futuro do País.

2. A maior parte dos jovens angolanos anseiam serem emigrantes para a Europa, devido a vários problemas sociais existentes em Angola e quase sem soluções.


3. Em Angola, a população é maioritariamente jovem, com alta taxa de natalidade, porém, o povo vive muito mal, na miséria e na pobreza extrema.


4. A resposta provável, ao aumento dos problemas sociais em Angola, pode resumir-se em: falta de vontade política do Governo de João Lourenço, herança colonial, ingerência estrangeira, o orgulho e ganancia dos líderes angolanos. E muitos angolanos enganados pensam que as organizações do ocidente são instituições filantrópicas ou de caridades, mas na verdade, são um verdadeiro abutre como dizia Neto: “África é como uma carne inerte onde cada abutre vem debitar o seu pedaço.”


5. O cenário da fome no Cunene e no Cuando Cubango, e as catástrofes sociais marcadas pelo aumento progressivo da criminalidade infanto – juvenil, aumento dos problemas sociais, aumento da prostituição mostram como João Lourenço se está a perder na caminhada.


6. Em Angola, mais de 50% do povo vive abaixo da linha da pobreza e mais de metade do povo sofre de insegurança alimentar e falta de emprego, alimentação, moradia, e educação.

 

Angola de João Lourenço parece não crescer nenhum dígito, desde o ponto de vista económico, com a implementação do IVA (imposto do valor acrescido) agravar – se – á a inflação, embora há economistas que defendam o contrário e que o IVA é uma forma de correcção do imposto de consumo, todavia, o IVA agravará a condição económica do povo angolano. Os progressos e disparidades se complementam no País rico com o povo muito miserável. No âmbito da educação, aumenta a escolaridade dos angolanos que vivem em zonas urbanas, mas não se garante a qualidade do ensino nas Escolas secundárias, nem sequer nas Universidades do País. O acesso à água continua sendo impossível para muitos no País, sobretudo no sul, como no Cunene e no Cuando Cubango, onde mais de 6 cidadãos morriam por dia devido a seca e a fome… E as desigualdades sociais continuam sendo enormes no País.

 

Com relação à situação política, sabe – se que, actualmente não existe democracia, de facto, muitas são as ameaças realizadas contra os que têm ideia livre sobre o presente e o futuro da nação angolana.

No entanto, seria imperativo que João Lourenço primasse pela reconciliação do MPLA por meio da valorização dos actores da história do MPLA, por meio de um fim à estratégia de “Vingança e caça às bruxas.”

 

Seria imperativo redefinir uma política para o futuro do MPLA que está completamente desunido e deitado ao tapete do descrédito. Seria imperativo repensar políticas sobre o futuro da criança e do jovem angolano, vítimas de um tempo sem futuro, e seres mais vulneráveis da violência e da pobreza que se assiste em Angola. Angola é um País com grandes riquezas naturais, mas a população não se beneficia delas.

 

BEM - HAJA!

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: