Luanda - A TPA, por ocasião de mais um aniversário da sua constituição, vai premiar os seus profissionais em algumas áreas de trabalho, nomeadamente, na da informação. Assim, concorrem para o prêmio informação, os jornalistas:

Fonte: Club-k.net

1. Ernesto Bartolomeu;
2.Mário Vaz;
3. Angelico dos Santos; e
4. Sílvia Samara.

Em relação à ordem por que os nomes e as respectivas figuras são apertados, não sei se houve sorteio. Não tendo havido sorteio, é uma falha, pois a antiguidade não é relevante, em termos de concurso sobre a qualidade do trabalho dos profissionais de uma actividade.

Para a escolha do melhor na área de informação, o que tem a ver com a transmissão de notícias através de LEITURA VOCÁLICA é necessário que se preestabeleçam os critérios de uma boa leitura vocálica. Ei-los:


1. Respeitar as PAUSAS OBRIGATÓRIAS, isto é, os sinais de pontuação. É importante dizer que depois de um sinal de pontuação a pausa é maior. Não se pode ignorar a pausa que se deve fazer na leitura de elementos intercalados - palavras, expressões e frase.


2. ENTOAÇÃO - o vocálico com que se lê os diferentes tipos de frase, ou seja, as frases declarativas, interrogarias, exclamativas e imperativas. Por exemplo, a entoação de uma frase interrogativa é diferente da frase declarativa. Na primeira tem maior intensidade vocálica.


3. FLUÊNCIA - a fluência ten a ver com a leitura com a leitura continua, ou seja, sem paragem. Às vezes, durante a leitura, o leitor pode ter dificuldades na leitura de alguns elementos do texto, tais como nomes, palavra, expressões, símbolos, formas de tratamento, unidades de medida. Amiúde, o leitor, por não ter feito a LEITURA PRÉVIA, a acaba por ter dificuldades durante a LEITURA DECISIVA, fazendo constates paragens e acabado por ficar com a “lingua enrolada. Nesses casos a leitura deixa de ter fluência.


4. CORRECÇÃO - uma boa leitura deve ser feita com correcção, ou seja, o modo correcto de dizer as palavras, independente da dicção de cada leitor. Assim, deixa de haver correcção se o leitor em relação à palavra “SAI”, invés de ler [sai], lê [sa:’í]. Quanto ao vocábulo “estratégia”, o leitor pode dizer [es:tra:te:’GIA]. Nessas hipóteses, não deixa de haver correcção na leitura.
Do exposto deve ser considerado bom leitor (bom profissional da área de informação aquele ou aquela, que habitualmente respeitar os requisitos apresentados.

É sobremaneira importante dizer que não fica bem a escolha de alguém como o “MELHOR”, não havendo critérios pré-definidos. Os requisitos são importantes, uma vez que contribuem para a melhor escolha e também para uma eventual impugnação dos resultados, no caso de ter havido má atribuição de quaisquer prémios, particularmente, em prémios com um corpo de júri.

Estimados leitores, votem no melhor, com base no requisitos que acabei de apresentar. Tenho fé em que esse prémio, que espero ser anual, vai contribuir para a sã concorrência entre os leitores de programas informativos. Com certeza, cada profissional vai esmerar-se, que vai também contribuir pra a boa qualidade dos serviços o noticiosos da TPA.

Sugiro que a TPA dê denomine esse prémio, em homenagem a um bom profissional dessa estação que tenha sido um bom apresentador de programas noticiosos, que já tenha falecido ou que já esteja aposentado. Assim, poder-se-á anunciar:


“O vencedor do Prémio Informação, Fulano de Tal é...”.

Para terminar, gostava que os amigos retivessem as seguintes expressões, que criei e desenvolvi no meu livro, “Teoria da Leitura”: Aqui estão: LEITURA PRÉVIA e LEITURA DECISIVA.

13.10.2019

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: