Johanesburgo - Uma doença estranha provocada por inalação de material  radiativo esta na razão da morte de três pilotos da TAAG, em curto espaço de tempo. A mais recente vitima que em vida se chamou, Arlindo Mesquita, 57 anos, veio a falecer na tarde, desta Quinta Feira (29),  numa  unidade hospitalar em Pretoria onde a cerca  de um ano e meio, a empresa enviou-lhe para  receber tratamento após  terem-no diagnosticado problemas de leucemia (câncer). O malogrado perdeu a vida precisamente no dia em que seria submetido a um transplante na medula.

 

Fonte: Club-k.net

Doença  estranha atinge pilotos que 
transportaram material bélico ao tempo da guerra

ImageAo tempo da TAAG Charter, os três técnicos  de aviação que vieram a falecer  trabalhavam  em comissão de serviço pela Campânia de bandeira nacional.  Em meados  da década de noventa segundo, confissões de um dos malogrados, haviam participado  em operações secretas na transportação de material bélico para o Congo – Kinshasa, a partir de pequenos aeroporto  nas Lunda e outros destinos de conhecimento restrito. Estima-se que dado ao período de trabalho, os mesmos tenham transportado algum material contendo substância radiativa de  conseqüências  a longo prazo.


Alguns deles como foi o caso de Arlindo Mesquita tomaram conhecimento quando a TAAG enviou, um grupo de pilotos para os Estados Unidos da America a fim de fazerem testes a luz dos procedimentos da profissão.


De acordo com diagnósticos  apresentado por unidades hospitalares de diferentes países (Estados Unidos, Namíbia e África do Sul), a origem da  doença terá sido provocada por inalação de algum matéria radiativo razão pela qual  provocou aos mesmos  insuficiências na reprodução dos  globos brancos causando  leucemia.


Das hipóteses  mais próximas e com razão de ser, a transportação do material bélico é a mais vincada cuja as evidencias se realçam:


- A cerca de um dois anos atrás um piloto conhecido por Xano acabou por falecer em Portugal vitima da mesma doença.


-  A duas semanas atrás um outro, conhecido por Katita  queixou-se se de problema de coração e ao ser evacuado para Lisboa lhe foi detectado em estado de avanço do  diagnostico dos outros colegas (leucemia). Acabou por falecer e foi a enterrar  esta Quinta Feira (29 Outubro) em Luanda.


- Um  outro técnico, Constantino passou a ter complicações semelhantes tendo sido evacuado previamente para África do Sul onde desloca-se regularmente para tratamento. O diagnostico foi da mesma natureza embora numa proporção menos avançada. Constantino que é mecânico de aviação  esteve antes a trabalhar para as força aéreas angolanas. Não chegou a fazer viagem com o material mas terá trabalhado próximo deste.


A Comissão de Gestão da TAAG foi posta ocorrente da situação através  de canais informais. De acordo com informações precisas,  alguns pilotos da  TAAG que participaram nas mesmas operações entraram em pânico após terem tomado registro das mortes dos colegas provocadas pelos problemas em referencia.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: