Lisboa - Esta a ser registrado um ambiente  de rotura entre a Universidade Lusíada de Angola e o Banco do Espírito Santos de Angola (BESA) levando ambas as instituições a darem passos interpretados como medidas de retaliação.


Fonte: Club-k.net


ImageNa áspera  do ambiente menos bom, o BESA encerrou a sua agencia “Posto Universidade Lusíada”, designação interna da sucursal que ate pouco tempo funcionava dentro daquela instituição acadêmica. Em simultâneo a Universidade já não quer  usar  os préstimos do BESA em relação a transferência dos salários dos seus trabalhadores que são feitas por este banco. De forma a acelerar o “corte institucional”, o  departamento de finanças da Lusíada  instruiu recentemente o  corpo de docente  a abrir conta bancaria em outra instituição bancaria para deposito do seu remunerado.


A Universidade Lusíada de Angola que iniciou actividades com o ensino propedêutico em 1999 nas áreas económicas, jurídicas e engenharia é propriedade de uma organização angolana de nome “Saber Angola” que tem dois  sócios que são, o embaixador Rui Mingas e o Dr. Paulo Murias. De acordo com dados verificados este são os únicos sócios com 50% de acções sem outro sócio oculto. O Embaixador Rui Mingas é apresentado como timoneiro da divergência com o BESA, nas informações apuradas.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: