Lisboa - O Secretario Nacional da JURA para a mobilização Urbana, António Marques foi recentemente demitido das suas funções politicas no braço juvenil do partido fundado por Jonas Savimbi. O ativista político Manuel Rocha que  fez a denuncia nas redes sociais,  alega que o dirigente juvenil foi exonerado  por alegado apoio ao candidato Adalberto da Costa Júnior que concorre a liderança do XIII congresso da UNITA.

Fonte: Club-k.net

JURA alega que afastamento deveu-se a faltas 

Fonte do partido confirmou ao Club-K, que António Marques foi de facto exonerado através de um N022/1/GAB.SGJ/019 de 16 de Agosto de 2019 assinado pelo líder da JURA, Agostinho Kamuango por ter faltado a uma reunião na sede nacional da JURA, no passado dia 1 de Julho. António Marques, segundo fonte do partido havia justificado a ausência invocando a questões académicas mas que entretanto não foram tidas em conta.


De acordo com observadores atentos, o dirigente António Marques começou a ter problemas com a sua organização quando em fóruns internos denunciou irregularidades na distribuição de moradias cedidas pelo Conselho Provincial da Juventude a JURA. Desde que iniciou os preparativos ao XIII, passou a ser critico a uma corrente interna que procurou subverter a candidatura de Adalberto da Costa Júnior com o lançamento de alegadas falsas informações contra o antigo “delfim” de Jonas Savimbi, junto ao Vaticano.


Para o congresso da UNITA marcado para segunda semana de Novembro do próximo mês, concorrem para alem de Costa Júnior, mais quatro dirigentes de prestigio do partido como Alcides Sakala Simões (apoiado pela família Savimbi e uma corrente da direção do partido), José Pedro Katchiungo (apoiado por uma ala de apoiantes ao líder cessante Isaías Samakuva), Abílio Kamalata Numa (apoiado por uma ala juvenil e antigos combatentes) e Raúl Danda cuja aprovação da candidatura esta pendente.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: