Luanda - É com muita estranheza que a sociedade angolana ficou a saber da declaração de pobreza de José Filomeno dos Santos a pedir patrocínio judicial por alegada falta de dinheiro para pagar os escritórios de advogados “Veritas” que o deram assistência judicial no processo dos 500 milhões dólares, também conhecido caso BNA.

Fonte: Angola News

Punge-nos, os corações quando a menos de dois anos deixaste o poder oligarco de todo poderoso e hoje quase inacreditável comparar-se com os meninos do sul de Angola ou da chamada Angola profunda do Cunene, Cuando Cubango, Huila, Namibe, e até Benguela que lhes falta tudo pela ma gestão do regime do Clã Dos Santos, se comparar com este, que o seu progenitor lhes negou pão saúde e escolaridade porque o programa do seu governo lá não chegavam, conte outra versão.

 

Em termos processuais, o polvo da corrupção em Angola deixa situações intrigantes para a família Dos Santos, no Supremo Tribunal, porque quase lhes obriga declarar falência, mas a historia é outra; Zenu dos Santos tinha quase certa o arquivamento do processo do caso BNA, quando o juiz de pronuncia lhe retirou duas acusações , uma delas da associação criminosa por ordens expressas do polvo RF, e com isso lhe motivou abandonar os escritórios da “Veritas” porque já não se justificava a assistência jurídica. Estava certa o arquivamento.

 

Na verdade nunca foi a “Veritas” o real  escritório de defesa de Zenu dos Santos,  mas sim a falecida RGT de Rui Ferreira,  quando alertávamos que o combate a corrupção estava encalhado porque havia um polvo que se alojou no Tribunal Supremo que ao mesmo tempo, advogava os marimbondos,  surgiram vozes a defender a teoria de perseguição,  hoje com o polvo fora do Tribunal, ai esta a primeira consequência, daqueles que brincaram  com bilhões de angolanos, que participaram no banquete da divida pública, que com isso negaram assistência medico medicamentosa, hoje simulam cair na classe da maioria dos autóctone, que nasce já pobre. Consideramos ainda despropositada a intervenção do Tribunal Supremo a favor de Zenu dos Santos a  pedir patrocínio judicial é quase uma forma de  atirar areia nos olhos angolanos, os menos equipados, que  com tantas empresas da família dos Santos a prosperarem,  parece  que ha uma intenção clara de burlar   os escritórios “Veritas” para  que não honre  os compromissos contratuais, que alias tem sido pratica deste (Zenu)

 

Fica aqui esclarecido que com o enterro do polvo a consequência foi a declaração de pobreza da família dos Santos, que não consegue  pagar os advogados, não venham com tese de congelamentos das vossas contas porque conhecemos bem os “testas de ferro” e os antigos funcionários do papa que a muito se ofereceram como assistentes dos processos,  que não nos obriguem  citar nomes por enquanto,  porque mais a frente haverá outras revelações na garantia de prestarmos o serviço público.

 

Que entre de vez nesta classe de pobreza de muitos angolanos,  aqui só se entra e não há saída, nesta  altura que para  os 'marimbondos' a terra esta quente e o céu esta longe de mais, o combate a corrupção, nepostismo,   peculato e desvios dos objetivos orçamentais, por isso assuma que és pobre aos olhos dos angolanos, mas aconselhamos que peça ainda ajuda a sua família que tanto dinheiro ainda tem dos angolanos por repatriar. 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: