Luanda - Manuel de Oliveira foi eleito primeiro secretário do distrito urbano do Benfica, município de Luanda, durante a conferência de renovação de mandatos dos comités de acção do MPLA, na província de Luanda.

Fonte: Angop

Na assembleia, foram igualmente eleitos 15 membros do comité do distrito urbano do Benfica, 30 delegados à conferência do Talatona e um membro para o comité municipal, no âmbito do alargamento das estruturas de base.

 

Conferências do género aconteceram no distrito Urbano da Maianga, Ingombota e Vila Verde, municípios de Luanda, onde foram eleitas como primeiros secretarias, respectivamente Nilca Caquesse, Américo Bunga e Alexandre Pedro
Gomes.

 

Cessaram mandatos Bornito Uamba, Fernando Cardoso, Hélder Balsa e André Simão, respectivamente.

 

O primeiro secretário eleito do Benfica, Manuel de Oliveira, disse ter como linhas de força continuar a trabalhar para garantir a vitória do partido nas eleições autárquicas e gerais, disciplina interna e formação política, para garantir o êxito dos objectivos preconizados.

 

Na ocasião, o membro do grupo de acompanhamento do MPLA dos distritos urbanos do Benfica e Talatona, Hélder Neto, referiu que o programa de combate à corrupção, impunidade, bajulação, branqueamento de capitais e outras práticas nocivas que violam o desenvolvimento sustentável e ao bem-estar das populações devem continuar a merecer o apoio de todas as forças vivas dos militantes do MPLA.

 

As conferências têm como objectivo fortalecer a capacidade e coesão de intervenção do MPLA, preparar o partido para as eleições autárquicas, mobilizar e potencial as estruturas do partido nos distritos e efectuar o balanço das actividades desenvolvidas pelos comités.

 

Ainda o grau de funcionamento do comités de acção dos órgãos e organismos, redefinir as linhas de força do programa 2016/2021, análise dos discursos proferidos pelo presidente da república do MPLA, bem como reforçar o trabalho direito com o cidadão nas comunidades.

 

Durante os encontros, foram aprovadas os projectos de reajustes das linhas de força do programa de trabalho de mandato de 2016/2021.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: