Luanda - A nova gestão do Banco de Comércio e Indústria (BCI), empossada nesta quarta-feira, pela ministra das Finanças, Vera Daves, vai apostar na recuperação do crédito malparado contabilizado em mil milhões de kwanzas.

Fonte: Angop

Os valores por recuperar foram disponibilizados ao mercado no âmbito do programa Angola Investe, já extinto, e do Balcão Único do Empreendedor (BUE).

 

Até Setembro último, o banco contabilizou prejuízos avaliados o equivalente em kwanzas a cinco milhões e 500 mil dólares americanos.

 

Segundo a nova presidente do conselho de administração, Zenaida Gertrudes dos Santos Zumbi, o banco vai fazer uma análise mais aturada e estruturada em termos de balanços, para aferir as rubricas onde incidem os prejuízos.

 

A nova administração promete trabalhar na estabilização financeira do banco, na reestruturação do crédito, apostar no capital humano e na preparação do processo de privatização deste instituição financeira bancária pública.

 

Desta feita, a nova administração terá de desenvolver vários mecanismos para a recuperação dos mesmos, para permitir o financiamento de outros projectos.

 

A estrutura accionista do BCI é constituída pelo Estado com 93,60 por cento, Sonangol com 1,13 por cento, Endiama 0,45 por cento, ENSA 1,13 por cento, TCUL 0,45 por cento, Porto de Luanda 1,13 por cento, TAAG 1,13 por cento, Angola Telecom 0,45 por cento, Serval 0,45 por cento e Bolama 0,08 por cento.

 

O Banco de Comércio e Indústria iniciou a sua actividade comercial a 11 de Julho de 1991.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: