Lisboa – O secretario provincial da UNITA, no Huambo, Liberty Marlin Dircéu Samuel Chiaka é citado em meios partidários, como tendo identificado na candidatura de Adalberto da Costa Júnior, como a com mais aceitação, para elevar o seu partido obter melhores resultados  eleitorais nas eleições gerais  de 2022,  em Angola. Aos interlocutores que o interpelam, Chiaka tem explicado que apesar das suas preferencias,  decidiu não fazer pronunciamentos públicos,  a recomendar  votos por alegados princípios. Entretanto, o seu homem de confiança, Celino Saveyile tomou posição mais aberta declarando  “apoio incondicional” a Adalberto.

Fonte: Club-k.net

De 44 anos de idade, Liberty Chiaka é tido como um jovem promissor dentro da UNITA com qualidades presidenciaveis. Na última semana de Setembro, anunciou a sua pretensão de se candidatar depois de ter sido convocado, em Luanda, pelo circulo presidencial de Isaías Samakuva. A sugestão traçada era de que concorresse a liderança do partido, para depois do congresso ter como Secretario Geral, Rafael Massanga Savimbi.


Em desacerto, com o seu anuncio de candidatura, uma corrente ligada a família de Jonas Savimbi convenceu Alcides Sakala a renunciar os trabalhos de coordenador dos preparativos do congresso e anunciar a sua entrada na corrida eleitoral. Por outro lado, quando Liberty Chiaka já estava na província do Huambo, preparado para se despedir dos seus colegas militantes e consequentemente regressar a Luanda para trabalhar no processo de formalização da sua campanha, recebeu uma nova comunicação que resultou na sua desistência a disputa eleitoral.


"Tendo identificado várias proximidades e coincidências de pontos de vistas com os nossos potenciais candidatos. Achei que devia retirar ao meu propósito e, no momento específico, poder manifestar o meu apoio a um dos candidatos", disse a imprensa o também deputado, já em Luanda.


Com a desistência de Liberty Chiaka, o circulo presidencial da presidência da UNITA repartiu-se em dois campo. Um grupo liderado por Vitorino Nhany apoiando Alcides Sakala e outro com o candidato José Pedro Katchiungo, identificado como a quem o Presidente Isaías Samakuva se revela mais inclinado.


Alcides Sakala, o apoiado pela familia Savimbi, terá como vice-presidente da UNITA, Rafael Massanga Savimbi enquanto que a pasta de Secretario Geral ou de SG adjunto deverá ser assegurada por Domingos Oliveira, o secretario provincial na Lunda-Norte.


A nível externo, o general Abílio Kamalata Numa e Adalberto da Costa Júnior são citados, com bases em sondagens como os  mais favoritos pela massa juvenil da sociedade, em Luanda, mas ao mesmo tempo, como as candidaturas não desejadas pelo adversário MPLA. Segundo, informações, um quadro do Serviço de Inteligência e Segurança de Estado (SINSE) que no passado respondia a um departamento chefiado por um  responsável,  João Fragoso “Loy” terá se aproximado a UNITA com a missão de boicotar a candidatura de Costa Júnior.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: