Luanda - A UNITA negou acusações da antiga deputada do MPLA “Tchizé” dos Santos de que foi conivente com o partido no poder no processo da sua expulsão do Parlamento angolano.

*Manuel José
Fonte: VOA

Entretanto, a CASA-CE e um analista consideram que a melhor opção do partido do "Galo Negro" devia ser a abstenção.


Welwitschia “Tchizé” dos Santos alegou num áudio enviado à VOA que a UNITA votou a favor da sua expulsão para mais tarde receber favores do MPLA.

 

Em resposta, a constitucionalista e deputada pela UNITA Mihaela Webba diz serem falsas e sem sentido as acusações da ex-deputada do MPLA.

 

Webba fez notar que a filha do antigo Presidente José Eduardo dos Santos ficou “mais de um ano e meio fora do Parlamento, com mais de 21 faltas pelo que a sua expulsão eraalgo previsto pela lei”.

 

"Contra lei não se vota, é apenas a lei, a constituição e o regimento da Assembleia Nacional", sublinhou a deputada da UNITA.

 

Entretanto, o constitucionalista Albano Pedro considera que o voto a favor da UNITA foi suspeito.

 

"A UNITA tinha a faculdade de abster-se e (isso) não ia significar violar a lei”, disse Pedro para quem o voto da UNITA não faz sentido.

 

“Só pode ter sido porque obviamente ter tido um acordo, troca de vantagem”, acrescentou.

 

A CASA-CE votou abstenção e o líder do grupo parlamentar, Alexandre Sebastião Andr,é diz que faltaram elementos para que "Tchizé" dos Santos fosse julgada na Assembleia Nacional com mais transparência e daí a abstenção.

 

"Reconhecemos que Tchizé excedeu-se na ausência do país, mas também não nos foram dadas as justificações que a senhora diz ter apresentado à Assembleia Nacional”, revelou, acrescentanto que o seu partido deu o "beneficio da duvida à senhora, optando pela abstenção".



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: