Luanda - A consultora Fitch Solutions considerou hoje que o ambiente empresarial a curto e médio prazo vai continuar difícil para as empresas em Angola, colocando o país no 11º de 13 países da África Austral.

Fonte: Lusa

"Angola tem uma classificação de 32,4 pontos num total de 100 relativamente ao Risco Operacional, o que coloca o país no 11º lugar de 13 países da África Austral analisados e na 169ª posição entre os 201 países analisados a nível mundial", lê-se no relatório sobre o Risco Operacional de Angola.

 

No relatório, enviado aos clientes e a que a Lusa teve acesso, os analistas desta consultora detida pelos mesmos donos da agência de `rating` Fitch escrevem que "os negócios em Angola vão continuar a enfrentar um ambiente operacional desafiante a curto e médio prazo, devido aos desafios económicos que foram exacerbados pela seca e pelo declínio da produção de petróleo, o principal pilar da economia".

 

As significativas faltas de divisas externas, que contribuíram para o aumento da inflação e redução das importações, bem como uma subida dos custos de financiamento para as empresas e os consumidores, vão fazer com que esta situação se mantenha bem para lá de 2020, acrescentam os analistas, notando também as deficiências logísticas do país.

 

"As operações empresariais enfrentam deficiências estruturais no ambiente logístico do país que vão manter o investimento no setor não petrolífero significativamente prejudicado pela falta de energia, água e combustíveis, num contexto de lentidão das reformas e dos esforços de diversificação", afirmam.

 

A corrupção continua a ser uma preocupação, "exacerbada pelo forte envolvimento do Estado na economia, bem como por uma histórica falta de transparência", concluem os analistas no relatório.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: