Luanda - O ministro do Comércio, Joffre Van-Dúnem, considerou quarta-feira, em Ondjiva, no Cunene, ser necessária uma fiscalização “mais profunda e acabada”, para evitar a especulação sobre preços dos produtos da cesta básica e outras irregularidades que se verificam em alguns estabelecimentos.


Fonte: JA

Falando no final de uma visita que efectuou em vários estabelecimentos comerciais dos municípios de Cuvelai, Ombadja e Cuanhama, no Cunene, Joffre Van-Dúnem assegurou que órgãos do Ministério como Inspecção e o Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec) vão redobrar esforços de forma a aumentar as acções de fiscalização nos estabelecimentos comerciais, com a finalidade de se evitar atropelos às normas estabelecidas.

 

A visita do ministro às unidades comerciais da província do Cunene foi de carácter pedagógico, com objectivo de desencorajar a especulação e contou com participação de inspector do Ministério do Comércio, directores nacionais do Comércio Interno e Externo e o director-geral do Inadec.

 

Na ocasião, o ministro disse que o Inadec e a Inspecção do Comércio devem fazer uma fiscalização assente e exames laboratoriais e outro tipo de perícias, com vista a detectar bens sem qualidade para o consumo. Mas, para isso, afirmou, são precisos quadros preparados e capazes, de forma a conduzir esse trabalho com responsabilidade.

 

“Vamos ter aqui, no Cunene, no próximo mês de Janeiro, uma equipa da Direcção Nacional do Comercio Interno e Serviços Mercantis, Inspecção e do Inadec, para trabalharem com o Governo local para dar formação a quadro de todos os municípios da província, no sentido de melhorar o processo de fiscalização aos estabelecimentos comerciais na região”, anunciou.

 

O ministro do Comércio permaneceu três dias no Cunene, onde se inteirou do andamento dos projectos em curso na província, nomeadamente a obra do Mercado Municipal do Cuanhama, bem como as lojas Poupa Lá de Cuvelai e Ombadja, cujas obras estão paralisadas.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: