Lisboa - Novos empresários estão a ser identificados  em meios financeiros, em Luanda, como parte interessada em comprar 13% da participação que a empresa MS Telecom detém no Banco de Fomento de Angola (BFA).

Fonte: Club-k.net

A MS Telecom é uma subsidiária da petrolífera estatal Sonangol para o sector das telecomunicações. A venda das ações desta empresa de telecomunicações esta a ser efectuada no quadro de medidas de alienação de mais de 60 ativos da Sonangol, dos setores das finanças, telecomunicações, imobiliário, indústria, entre outros.

 

 

No âmbito do Programa de Privatizações (ProPriv), que lista 195 empresas públicas a serem privatizadas total ou parcialmente, até 2022, só a Sonangol deve alienar 20 empresas e/ou ativos até dezembro.

 

Estão previstas a alienação de 26 empresas em 2020, três em 2021 e uma em 2022, que compreende a abertura do seu capital.

 

O presidente do conselho de administração da Sonangol, Sebastião Gaspar Martins defendeu em varias ocasiões que a alienação de mais de 60 activos não nucleares vai tornar a empresa “financeiramente mais robusta”, tendo afirmado que os activos a privatizar têm sido avaliados no âmbito do programa de regeneração da empresa com vista a centrá-la no seu objecto social.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: