Lisboa - Estão a ser, desde algum tempo, assinaladas na TPA  certa apatia levando-a a evitar para os seus debates ou entrevista, a figura do activista cívico, Fernando Macedo. 


Fonte: Club-k.net


De acordo com uma recomposição de dados, Fernando Macedo foi pela primeira vez convidado pela TPA em 2000, num programa sobre justiça,  apresentado por   Manuel Silva, mais tarde em 2002 e 2003. A quarta  aparição e ultima  foi antes ter ido fazer mestrado nos Estados Unidos da America.

 

Desabafo de um jornalista daquela estação de televisão deu sustento as interpretações e suspeitas segundo a qual o mesmo estava a ser excluído devido as suas posições democráticas que convergem com as opostas praticadas pelo regime.

 

Antecedentes das suspeitas:


- Da ultima vez que  foi interpelado pela  TPA (antes de ir aos EUA), não foi convidado para falar de democracia ou direitos humanos temas que se tem destacado. Contactaram lhe  para falar  de política internacional


- Os convites que chegavam a sede da AJPD, para falar na televisão eram aparentemente personalizados (Direcionados a Lucia Silveira, Delma Monteiro e ao ex Vice Presidente Jorge Eurico, que foi ao Janela Aberta);  numa das vezes, um dos reportes da TPA chegou a ser “honesto” dizendo que  o seu chefe   não queria entrevistas com  Fernando Macedo, mas na altura o mesmo já estava nos Estados Unidos.


- Nas duas ultimas conferencias anuais sobre direitos humanos da AJPD,  a TPA foi convidada para  fazer cobertura mas não passou a sua intervenção.


A exclusão do activista por parte da TPA, é associada as suas posições criticas e directas ao regime e em especial ao  Presidente da Republica, José Eduardo dos Santos. Em entrevista ao Folha8, chegou a dizer que JES deveria demitir-se. Através da radio Eclésia acusou diversas vezes  o PR,  de estar em desrespeito com a  lei magna  especificando ou dando exemplos da violação. Portanto, a  motivação que leva os jornalistas da TPA a evitá-lo pode ser também  entendida como medida dos mesmo a evitar que sofram represália.


Exemplos de casos semelhantes da exclusão:


- Filomeno Vieira Lopes não é entrevistado para falar de política. Agosto deste ano, a TPA lhe deu espaço mas para falar de cultura, vida do  musico Liceu Vieira Dias.


- O Jornalista Reginaldo Silva já não é chamado para fazer comentários na Radio Nacional, a já alguns meses  


- Angop não publica textos com rostos dos membros da UNITA e da oposição em geral, nos poucos casos que colocam foto faz no sentido de fabricar um argumento para ser mostrado quando forem acusados. É mentor desta estratégia, o Brigadeiro Wadjimbi, Vice Ministro da comunicação social.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: