Luanda - O activista e antigo secretário executivo do Movimento de Estudantes Angolanos (MEA), Miguel Quimbenze, continua detido desde terça-feira, 24, pela Polícia Nacional em Luanda por protestar, numa vigília, contra a subida dos preços das taxas de emolumentos para a emissão do Bilhete de Identidade e do Registo Criminal e promete promover manifestações junto da administração municipal de várias cidades.

*Coque Mukuta
Fonte: VOA

No protesto feito no Largo Primeiro de Maio, na capital angolana, considerou ser “um roubo” o novo custo para a emissão daqueles documentos.

 

“Não se entende como é que um BI de segunda via custa sete mil kwanzas e o Registo Criminal 10 mil kwanzas”, sublinhou aquele antropólogo de formação.

 

Ele prometeu que se o Presidente João Lourenço mantiver esses valores, ele será o primeiro adversário dele.

 

“Fica declarada a guerra, eu vou continuar a prostestar e ele pode já considerar Miguel Quimbenze o seu inimigo número um”, concluiu.

 

O activista continua detido na Esquadra do Cassequel, em Luanda.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: