Luanda - João Lourenço a quando ainda candidato as eleições Gerais de 2017, não podia mostrar as suas garras Porque os marimbondos ainda detinham alguma influência sobre o presidente José Eduardo dos Santos. Caso ele mostrasse os trunfos do xadrez seria substituído na altura de forma imediata, portanto precisava do poder, afirmação e da consolidação para pôr a sua máquina a funcionar. Este país era governado por uma oligarquia, que julgavam que após João Lourenço, ser eleito presidente seria um servente dos marimbondos.

Fonte: Club-k.net

A grande rutura com os marimbondos, começa com o discurso na tomada de posse, quando o Presidente afirma, que Ninguém é suficientemente rico que não possa ser punido, ninguém é pobre demais que não possa ser protegido. 26/09/2017

Com está chamada de atenção os marimbondos, acharam aquele discurso um passatempo, que não passaria de um telhaço.

 

No dia 08/09/2018, nas vestes de presidente do MPLA, João Lourenço, começa a construir a verdadeira história do MPLA, João Lourenço agradeceu a sua eleição como quinto presidente do partido, depois de Ilídio Machado, Mário Pinto de Andrade, António Agostinho Neto e José Eduardo dos Santos, para os quais pediu efusiva salva de palmas.


E foi mais além dizendo que "Nesta cruzada de luta, o MPLA deve tomar a dianteira, ocupar a primeira trincheira, assumir o papel de vanguarda, de líder, mesmo que os primeiros a tombar sejam militantes ou mesmo altos dirigentes do partido, que tenham cometido crimes ou que pelo seu comportamento social estejam a sujar o bom nome do partido", defendeu João Lourenço, que tem o combate à corrupção como discurso constante. Neste discurso os marimbondos mais atentos e visionários começaram a entender que o Presidente João Lourenço, não estava a brincar, estava a levar a sério o combate contra corrupção, muito deles começaram a demacar-se e construir a sua base no exterior.

 

No dia 22/11/18. O presidente João Lourenço, a quando da sua visita em Portugal no Palácio de Belém lança a sua maior bomba demolidora afirmando que é preciso destruir o ninho do marimbondo”, sobre o combate à corrupção

 

“Quantos marimbondos existem nesse ninho, não são muitos, devo dizer: Angola tem 28 milhões de pessoas, mas não há 28 milhões de corruptos, o número é bastante reduzido e há uma expressão na política angolana que diz que ‘somos milhões e contra milhões ninguém combate'”.


Após morimbondos ficaram descontrolados sem beira e nem eira, começaram a munir-se a partir do exterior, e lançavam algumas garrafas, no sentido de persuadir o Presidente a afrouxar este combate, porque achavam que ainda tinham alguns trunfos nas mangas.

 

João Lourenço o demolidor implacável, o Mestre do xadrez como é tratado, não caiu nas labias dos marimbondos e começou a destruir alguns contratos milionários que foram feitos a margem da lei e que lesavam o Estado Angolano.

 

A partir deste momento o Presidente João Lourenço, torna-se o inimigo número 1 dos marimbondos, tentam fazer de tudo no sentido de criar convulsões sociais.

 

Nós estamos contigo Senhor presidente, acreditamos que o país tem rumo, e está Angola, nunca mais será a mesma, será um país em que minha geração terá orgulho de chama-la Angola nossa terra nossa mãe, Pátria querida.

 

Juntos podemos ninguém vence sozinho.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: